EDITORIAL

 

A revista eletrônica Estudos e Pesquisas em Psicologia oferece neste número do Volume 8, um Dossiê com o tema Fenomenologia e Existencialismo.

O dossiê é aberto pelo artigo Fenomenologia e Existencialismo: costurando nexos, articulando sentidos, de Ariane P. Ewald, que procura construir um pouco do percurso histórico dos dois movimentos e como eles se articularam no século XX. O sentir e a imaginação, na fenomenologia da dor e do sofrimento: Michel Henry/Jean-Luc Marion, é o texto de Florinda Martins da Universidade de Lisboa, que discute a fenomenologia da dor a partir de Michel Henry, autor muito pouco conhecido entre nós e sobre quem ela é especialista.

Formando uma discussão com as questões husserlianas, o presente dossiê apresenta uma série de artigos que trazem novas discussões sobre a fenomenologia e suas concepções. Alguns destes artigos foram fruto de apresentações feitas no III Congresso Internacional da Associação Portuguesa de Filosofia Fenomenológica e no I Congresso Luso-Brasileiro de Fenomenologia que aconteceu em dezembro de 2007 em Lisboa. Os leitores poderão encontrar um debate profícuo nos textos de Pedro Alves, da Universidade de Lisboa: Empatia e ser-para-outrem. Husserl e Sartre perante o problema da intersubjectividade; como também no artigo de Urbano M. Sindocha, da Universidade da Beira Interior: O debate possível entre Materialismo Reducionista e Fenomenologia.

A propósito da fenomenologia de Lévinas, os leitores poderão encontrar uma discussão sobre suas idéias no artigo de Nelson Coelho Junior, da USP: Da Fenomenologia à Ética como Filosofia Primeira: notas sobre a noção de alteridade no pensamento de E. Lévinas; bem como um debate de André Barata, da Universidade da Beira Interior, entre três grandes autores: Lévinas, Husserl and Damásio – From Otherness as Experience to Experience as Otherness. No artigo de Alan Flajolet, França, intitulado De l’herméneutique à la phénoménologie de l’œuvre littéraire, o autor realiza uma discussão entre literatura e a hermenêutica de Paul Ricoeur.

Os textos que envolvem um trabalho mais ligado à clínica são os artigos de Cristine Mattar e Roberto de Sá Novaes, Os sentidos de “análise” e “analítica” no pensamento de Heidegger e suas implicações para a psicoterapia; José Célio Freire, O lugar do outro na daseinsanalyse de binswanger; George Boris, O caso Vera: análise fenomenológico-existencial de uma experiência “fracassada” ou dos dilemas e dos impasses dos psicoterapeutas iniciantes. O artigo de Ana Maria L. C. Feijoo, A filosofia da existência e os fundamentos da clínica psicológica, tem sua base teórica em Kierkegaard e em Heidegger e faz uma aproximação destes pensadores também voltado para o exercício da clínica psicológica. O artigo de Elza Dutra, Afinal, o que significa o social nas práticas clínicas fenomenológico-existenciais?, parte de uma indagação para mostrar o que é o social nas práticas fenomenológicos-existenciais, utilizando exemplos de plantões para exemplificar esta prática.

A leitura sobre algumas das discussões promovidas pelo pensamento de Sartre e Merleau-Ponty podem ser encontradas nos artigos de Fábio C. L. de Castro, Universidade de Liège, Bélgica, Experiência Ética, Normatividade e Paradoxo Ético segundo Jean-Paul Sartre – As Conferências de Cornell e de Roma; Deise Quintiliano, Sartre Fenomenólogo; Daniela R. Schneider, O Método Biográfico em Sartre: Contribuições do existencialismo para a psicologia. No artigo conjunto Merleau-Ponty, Sartre e Heidegger: três concepções de fenomenologia, três grandes filósofos, de Rafael R. Gonçalves, Fernanda A. F. Garcia, Jurema B. Dantas e Ariane Ewald, há uma exposição de três diferentes formas de abordar a fenomenologia que é explicitada através de cada autor. Sobre Merleau-Ponty temos o trabalho de Virgínia Moreira e Francisco S. Cavalcante Junior, O método fenomenológico crítico (ou mundano) na pesquisa em psico(pato)logia e a contribuição da etnografia; e o artigo de Paulo A. Castro, A Onto-fenomenologia do mundo em Merleau-Ponty ou o (im)pensado de Husserl – Uma proposta de leitura a partir de O Filósofo e sua Sombra.

Fechando o dossiê, temos o artigo de Josenildo C. Brussio, Perdas e Danos: reflexões sobre as emoções estéticas do homem moderno através da fenomenologia, existencialismo e imaginário.

Em seguida ao Dossiê, os leitores poderão encontrar mais quatro artigos que compõem a seção de artigos da revista Estudos e Pesquisas em Psicologia, bem como a comunicação de pesquisa de Wladimir F. de Souza e a resenha de Denis B. de Carvalho sobre o livro de W. SENNE intitulado Psicologia e Psicodiagnóstico: bases epistemológicas. O artigo de Ana Paula Perissé, A flânerie hipermoderna em uma urbis simulada: os novos vagabundos iluminados digitais, discute a reconfiguração de uma prática social moderna, o que a autora chama de “avatar-flânerie”, que emerge em função de um novo espaço urbano e virtual. O texto de Maria Carolina Gomes Barbalho, intitulado A Ordem do Caos: epistemologia de um Tempo e experiências de ruptura na obra A Trilogia de Nova York, discute a cidade a partir do romance de Paul Auster, carregado de questões pertinentes à contemporaneidade numa intensificação de sensações de esvaziamento das certezas até então indiscutíveis. Tratando de outro tema pertinente à Psicologia, está o artigo Algumas contribuições das neurociências para o estudo da relação entre o afeto e a cognição, de Simone Cagnin, que faz um reflexão sobre as contribuições das chamadas neurociências para o estudo da relação entre afeto e a cognição. Nesta mesma linha, encontra-se o artigo A leitura no ensino Médio e o uso das estratégias metacognitivas, escrito a quatro mãos por Janete A. da S. Mariani e Maria C. R. Azevedo Joly, que estuda a freqüência de uso de estratégias metacognitivas de leitura por estudantes do Ensino Médio levando em consideração algumas variáveis de pesquisa. Por fim, está o artigo Sobre a Familia: Com a palavra, a comunidade de Claudia Lins Cardoso e Terezinha Féres-Carneiro.

Esperamos que apreciem e que tenham uma boa leitura.

 

Comisso Editorial

Ariane P. Ewald
Deise Mancebo
Eleonôra T. Prestrelo
Anna P. Uziel
Luciano Elia



Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com