A SANÇÃO PEDAGÓGICA E OS ASPECTOS ÉTICOS E MORAIS DA CONSENSUALIDADE: EM BUSCA DA EFETIVIDADE DO MODELO MULTIPORTAS

Márcia Michele Garcia Duarte

Resumo


O presente ensaio busca provocar o enfrentamento do aspecto comportamental nos espaços de desenvolvimento da Alternative Dispute Resolution (ADR), notadamente na negociação extraprocessual. Perpassa pelos deveres que norteiam todos que utilizam a vestimenta do “atuar colaborativo”, convidando à reflexão acerca da viabilidade de construir comportamentos despidos de artifícios, ou dos subjetivismos e elementos subjacentes que marcam a busca por razões e vitórias, no sentido de conduzir a resultados irascíveis aos demais participantes do espaço até então rotulado como consensualizado. A pesquisa classifica-se como bibliográfica e descritiva, pois se pauta em doutrina interdisciplinar e busca conferir nova visão sobre o assunto. Pensa-se que a punição pecuniária se mostra promissora a amoldar os conflitantes, no fito de levá-los efetivamente a submergirem, sem meio-termo, no oceano de possibilidades reais de resolução amigável (e confiável) dos conflitos.

Palavras-chave


ADR; cooperação processual; negociação ética; boa-fé processual; moralidade colaborativa.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/redp.2021.62268

REVISTA ELETRÔNICA DE DIREITO PROCESSUAL - REDP

 

Campus Maracanã, Pavilhão João Lyra Filho, 7º andar

Bloco F, sala 7123. Rio de Janeiro/RJ. Brasil

Telefones: (21) 2334-0072 ou 2334-0312. E-mail: fhrevistaprocessual@gmail.com