Dialogando com Paulo Freire e Marielle Franco: um manifesto poético através de uma performance audiovisual

Danielle Christina do Nascimento Oliveira, Bianca de Menezes Castro da Silva

Resumo


Neste artigo, apresentaremos um diálogo subjetivo entre dois personagens emblemáticos na atualidade, com corpos em fricção: Paulo Freire e Marielle Franco, que teve como objetivo a produção artística e cultural através da performance audiovisual com um manifesto poético sobre os pensamentos do primeiro e a vida da segunda, a partir da “metodologia do encontro”. O resultado deste trabalho foi a potência do encontro entre o simbólico de Marielle Franco e a perspectiva de Paulo Freire, nos demonstrando o quanto (sobre)viver é um ato político! Estes personagens deixaram suas vidas e obras como legado, ou melhor dizendo, sementes.


Palavras-chave


Política. Produção Estética. Redes de conhecimentos.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Silvio Luiz de. Racismo estrutural. São Paulo: Sueli Carneiro; Editora Jandaíra, 2020.

ALVES, Nilda Guimarães. Imagens de professoras e redes cotidianas de conhecimentos. Educar em Revista, Curitiba: Editora UFPR, n.24, 2004, p. 19-36.

ALVES, Nilda. Decifrando o pergaminho – o cotidiano na escola nas lógicas das redes cotidianas. In: OLIVEIRA, Inês Barbosa; ALVES, Nilda. Pesquisa no/do cotidiano das escolas – sobre redes de saberes. Rio de Janeiro: DP & A, 2001.

BUTLER, Judith. Quadro de guerra. Quando a vida é passível de luto? Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015, p. 13-53.

COLLINS, Patrícia Hill. Aprendendo com a outsider within: a significação sociológica do pensamento feminista negro. In: Revista Sociedade e Estado, v. 31, n. 1, p. 99-127, jan./abr. 2016.

COURTINE, Jean-Jacques. Decifrar o corpo: pensar com Foucault. Petrópolis, Rj: Vozes, 2013.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão; tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis, vozes, 1987, 288p.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: UNESP. 2000.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 44ª ed. – Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013. ISBN: 978-85-7753-163-9.

GOES, Emanuelle Freitas; RAMOS, Dandara de Oliveira; FERREIRA, Andreia Jaqueline Fortes. Desigualdades raciais em saúde e a pandemia da Covid-19. In: Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 18, n. 3, 2020, e00278110. DOI: 10.1590/1981-7746- sol00278.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Produção de presença – o que o sentido não consegue transmitir. Tradução de Ana Isabel Soares. Rio de Janeiro: Contraponto e PUC-Rio, agosto de 2010.

PASSOS, Mailsa Carla Pinto. Encontros cotidianos e a pesquisa em Educação: relações raciais, experiência dialógica e processos de identificação. Educar em Revista, Curitiba: Editora UFPR, n. 51, jan./mar. 2014, p. 227-242.

SOUZA, Claudete Alves da Silva. A solidão da mulher negra: sua subjetividade e seu preterimento pelo homem negro na cidade de São Paulo. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Programa de Pós-Graduação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.




DOI: https://doi.org/10.12957/redoc.2021.61587

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexação:

           


 

Google Acadêmico::

 

(Citações /Métricas)

 

Visualizações:

 


Licença:

  Esta obra está licenciada com uma Licença  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.