A regularidade e desafio da aplicação da lei 10.639/03: o ressoar do tambor no trato pedagógico

Waldinéia Teles Pereira, Renato Alves de Carvalho Júnior

Resumo


O presente trabalho propõe abordar e dialogar uma série de questionamentos históricos acerca da regularidade e os inúmeros desafios de tratar pedagogicamente a História da África e dos Africanos, a luta dos negros no Brasil, a cultura negra brasileira e o negro na formação da sociedade nacional, resgatando a contribuição do povo negro nas áreas social, econômica e política pertinentes à História do Brasil. Percebemos o grande entrave no ambiente escolar quando o dialogo perpassa pelas religiões de matrizes africanas. E esse texto, apresenta o elemento Tambor como o grande mediador do embalo das nossas raízes ancestrais tão presentes em nossas vidas, nos chamando para aprender com plenitude e consciência. Respeitar profundamente o diferente e compreendê-lo, as verdades da fé das diversas tradições religiosas, ou forma de ateísmo, com a máxima da ética e sem que haja sectarismo, possibilitando orientar o aluno a conhecer e refletir sobre si e sobre os outros, com a possibilidade de aprender a história e cultura africana e afro-brasileira, referidas na lei 10.639/03,  como uma ferramenta de uma docência antirracista.


Palavras-chave


Religiões de Matrizes Africanas; Antirracismo; Educação

Texto completo:

PDF

Referências


BÂ, Amadou Hâmpate. Amkoullel:o menino fula. São Paulo: Palas Athena; Casa das Áfricas, 2003.

BARROS, José Flávio Pessoa de. O banquete – Olubajé: um introdução à música sacra afro-brasileira. 2 ed. Rio de Janeiro: Pallas, 2005.

BARROS, José Flávio Pessoa de. A fogueira de Xangô. 3 ed. Rio de Janeiro, Pallas, 2009.

¬¬BRASIL. Constituição (1988).Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial [da] União. Brasília, DF: Senado, 05 de outubro de 1988. Disponível em:.

BRASIL. INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA (IPEA). Políticas sociais: acompanhamento e análise. Brasília: Ipea, 2008. nº 15.

BRASIL. [Lei Darcy Ribeiro (1996)]. LDB nacional: Lei de diretrizes e bases da educação nacional: Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. – 11. ed. – Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2015.

BRASIL. Lei federal nº 11.645, de 10/03/2008: Altera a Lei 9.394/96 para incluir o no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da Temática “História e Cultura afro-brasileira”. Disponível em: .

CAPUTO, Stela Guedes. Educação nos terreiros e como a escola se relaciona com crianças de candomblé. Rio de Janeiro: Pallas, 2012.

CARVALHO JUNIOR, Renato Alves de. SÚFẸLẸ̀BÍ: sopros cotidianos e infância no terreiro. 2020. 182 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2020.

CAVALLEIRO, Eliane dos Santos. Do silêncio do lar ao silêncio escolar: racismo, preconceito e discriminação na educação infantil. 6. ed. São Paulo: Contextos, 2012.

CAVALLEIRO, Eliane dos Santos. (Org.). Racismo e antirracismo na educação: repensando nossa escola. São Paulo: Selo Negro, 2001.

CUNHA, Perses Maria Canellas. Da senzala à sala de aula: como o negro chegou na escola. Monografia (Pós-graduação em Educação) – Departamento de Educação, Universidade Federal Fluminense (UFF). Niterói,1997.

DEI, George J. Sefa; JOHAL, Gurpreet Singh. Questões críticas nas metodologias de investigação anti-racistas. Uma introdução. In:

______. (Org.). Metodologias de investigação anti-racistas: questões críticas. Portugal: Edições Pedagógicas, 2008, p. 9-44.

GOMES, Nilma Lino. Educação cidadã, etnia e raça: o trato pedagógico da diversidade. In: Racismo e anti-racismo na educação: repensando nossa escola. São Paulo: Selo Negro, 2001. p. 83-96.

GONDRA, José Gonçalves; SCHUELER Alessandra. Educação, poder e sociedade no império brasileiro. São Paulo: Cortez, 2008.

JAGUN, Márcio de. Orí: a cabeça como divindade. Rio de Janeiro: Litteris, 2015.

JAGUN, Márcio de. Yorùbá: vocabulário temático do candomblé. Rio de Janeiro: Litteris, 2017.

JAGUN, Márcio de. Ewé: a chave do portal. Rio de Janeiro: Litteris, 2019.

LOPES, Nei. Enciclopédia Brasileira da Diáspora Africana. 4 ed. São Paulo: Selo Negro, 2011.

LOPES, Nei. História e cultura africana e afro-brasileira. São Paulo: Barsa Planeta, 2008.

MUNANGA, Kabengele. Educação e Diversidade Cultural. In:

MUNANGA, Kabengele. Negritude: usos e sentidos. Belo Horizonte: Autêntica, 2009. (Coleção Cultura Negra e identidades).

MUNANGA, Kabengele. Superando o racismo na escola. Brasília: Ministério da Educação; Secretaria de Educação Fundamental, 2001.

MUNANGA, Kabengele. Teoria social e relações raciais no Brasil contemporâneo.Cadernos PENESB, n. 12; p. 169-204; 2013.

MÜLLER, Tânia Mara Pedrosa; OLIVEIR Iolanda (Org.). O negro na contemporaneidade e suas demandas. Niterói: Eduff, nº 10, p. 37-54, janeiro de 2008/junho de 2010.

OLIVEIRA, Iolanda de; SACRAMENTO, Mônica. Raça, currículo e práxis pedagógica: relações raciais e educação: diálogo teoria/prática na Formação de profissionais do magistério. Cadernos PENESB, v. 12, p. 205-284, 2010.

OYEWÙMÍ, O. VisualizingtheBody: Western TheoriesandAfricanSubjects. In: OYEWÙMÍ, Oyèrónke ́. The inventionofwomen: makinganAfricansenseof western genderdiscourses. Minneapolis: UniversityofMinnesota Press, 1997. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2019.

PEREIRA, Waldinéia Teles. A presença negra da educação de jovens e adultos. – Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal Fluminense, Faculdade de Educação, Niterói, 2016.

ROQUE, Átila. Construção e desconstrução do silêncio:reflexões sobre o racismo e o antirracismo na sociedade brasileira.In:

PAULA, Marilene de; HERINGER, Rosana (Orgs.). Caminhos convergentes: Estado e Sociedade na superação das desigualdades raciais no Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Heinrich Boll, ActionAid, 2009. p. 259-274.

SIMAS, Luiz Antonio; RUFINO, Luiz. Fogo no mato: a ciência encantada das macumbas. Rio de Janeiro: Mórula, 2018.

SLENES, Robert W. “Eu venho de longe, eu venho cavando”: jongueiros cumba na senzala centro-africana. In: LARA, Silvia Hunold; PACHECO, Gustavo. Memória go jongo: as gravações históricas de Stanley J. Stein. Vassouras, 1949. Rio de Janeiro: Folha Seca; Campinas, SP: CECULT, 2007, p. 109-156.




DOI: https://doi.org/10.12957/redoc.2021.56608

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexação:

           


 

Google Acadêmico::

 

(Citações /Métricas)

 

Visualizações:

 


Licença:

  Esta obra está licenciada com uma Licença  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.