Raízes teológico-políticas da modernidade constitucional

Leonardo Carrilho

Resumo


No Brasil, religião e política se discutem? Este artigo pretende apresentar uma novaabordagem interpretativa na literatura política dos conceitos usuais de“constitucionalismo” e “constituição” na “modernidade constitucional”. Trata-se de umesforço para explicitar as raízes histórico-semânticas dessas expressões, a partir da ideia deque concepções teológicas de uma época se conectam intrinsecamente com o sentido dasinstituições políticas. A principal literatura sobre Teologia Política enquanto objetocientífico foi produzida na Alemanha do século XX e é ainda pouco debatida no Brasil.Embora a premissa teológico-política seja contestável, a reflexão sobre sua validade – eseu uso como ferramenta hermenêutica de conceitos históricos – continua atual. Odiagnóstico definitivo da modernidade constitucional aponta para o declínio da forçasemântica dos conceitos constitucionais e para o esfacelamento das instituiçõesrepresentativas. O objetivo aqui é revisar a literatura primária da Teologia Política,apontando sua evolução e as principais conclusões dos autores centrais, com destaquepara a relevância desses estudos como fonte de estímulo, a fim de que se abandonemtanto a defesa eufórica da ideologia constitucionalista quanto a necessidade deaniquilação de todos os ganhos civilizatórios proporcionados por ela. Certamente, muitoainda precisa ser feito para bem compreender o ocaso das instituições centrais dademocracia brasileira na modernidade constitucional. Este novo olhar é só uma modestacontribuição nesse sentido.

Palavras-chave


Teologia Política; Constituição; Constitucionalismo; Modernidade Constitucional; Secularização e Sacralização

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/publicum.2015.20220

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Leonardo Carrilho

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.