MEDÉIA, AMOR E ERRO, EM OVÍDIO

Márcia Regina de Faria da Silva

Resumo


A personagem Medeia, desde os autores gregos, como Eurípides, é apresentada
como o exemplo mais clássico do prejuízo causado pela paixão desmedida.
Ela justifica todos os seus atos buscando como medida seu amor por Jasão. É o
amor que a faz salvar a vida do amado e tirar várias outras vidas, inclusive de seus
próprios filhos. Ovídio, poeta latino do século I a.C., retoma a personagem em sua
obra Heroides, para também apresentar o mal que a paixão desenfreada pode
causar em um ser humano. A cultura romana que ensinava os riscos do amor e da
paixão, como tão bem nos legou Lucrécio, em seu De rerum natura, buscava não
cometer o erro de amar em demasia. Contudo, Ovídio mostra nessa obra, as dores
e os sofrimentos causados por um amor que se torna para a personagem, ao
mesmo tempo, sua salvação e sua destruição.

Palavras-chave


Medeia; trágico; Ovídio; elegia

Texto completo:

PDF


Direitos autorais

e-ISSN 2358-7326 | ISSN: 1415-6881

Indexado em:


Licença Creative Commons
A Principia utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.