O PORQUÊ É PRECISO ALTERIDADE: a subjetivação do neoliberalismo sobre os sujeitos

Deysi Maia Clair Kosvoski, Sara Farias da Silva

Resumo


Este artigo apresenta uma abordagem crítica, política e filosófica com conceitos importantes para a análise da alteridade sobre a subjetividade e subjetivação do sujeito, em contexto neoliberal. Nosso objetivo é problematizar o contexto atual e analisar a responsabilidade docente quanto a evolução dos sujeitos no aspecto humano no processo educacional, perspectivando relações de alteridade em um mundo comum, o espaço físico ou teórico ocupado por sujeitos em interação. A partir da realidade sócio histórica na qual estamos inseridas, queremos discutir a questão problemática: Como provocar o sujeito a educar-se para a alteridade em contexto neoliberal no qual o sujeito está subjetivado à competição e ao empresariamento de si? Nossos estudos contribuem à medida que fazem questionamentos em relação ao humano e ao futuro da humanidade para que sejam proporcionados aprendizados sobre e com alteridade e que com isso, possamos reconhecer o outro como nosso semelhante, mas não só o próximo, o desconhecido, aquele que está longe dos olhos e que só a alteridade pode desencadear a percepção dos sentidos a respeito e reconhecimento desse outro.

Palavras-chave


Alteridade; Educação brasileira; Neoliberalismo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/periferia.2020.46951

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil  

Revista Periferia, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas – PPGECC/UERJ - ISSN: 1984-9540