UM OLHAR SOBRE O PROCESSO DE SUBJETIVAÇÃO DO MC TS: A FAVELA, O FLUXO E (EST)ÉTICA DO CONSUMO

João Augusto Neves

Resumo


Durante as entrevistas realizadas para a produção do documentário “É o fluxo” alguns personagens se tornaram emblemáticos devida à riqueza de detalhes apresentados em sua narrativa. Por meio dos encontros proporcionados no decorrer das filmagens e através do compartilhamento de imagens e materiais sonoros e poéticos, alguns elementos provocaram a reflexão sobre questões relativas aos processos de subjetivação na sociedade contemporânea. Com isso em mãos, enumerei algumas análises possíveis sobre a cultura funk, a favela e a (est)ética do consumo.


Palavras-chave


subjetividades; cultura Funk; sociedade do consumo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/periferia.2019.30975

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil  

Revista Periferia, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas – PPGECC/UERJ - ISSN: 1984-9540