CONHECENDO O CRIAAD DE NOVA IGUAÇU, SEUS SUJEITOS E SUAS TENSÕES RACIAIS

Priscila Duarte dos Reis

Resumo


DOI: 10.12957/periferia.2016.27718

Este trabalho possui como objetivos, a partir de uma breve exposição e uma análise, apresentar e dar mais visibilidade ao CRIAAD Nova Iguaçu, aos indivíduos que ali se encontram e suas inter-relações, buscando compreender como ocorrem as tensões com motivações raciais nesta unidade e analisar de que forma atuam os agentes públicos responsáveis pelos adolescentes nesta instituição para combater e prevenir tais atitudes. Objetiva, também, mostrar a necessidade de se refletir sobre os termos cidadania e juventude a partir de um referencial de identidade étnico racial. É possível dizer que esta análise é bastante sucinta tendo em vista a riqueza e a quantidade de informações trazidas pelos jovens socioeducandos e agentes públicos quando entrevistados e também quando apenas observados. Para este artigo fiz um recorte com apenas algumas informações, dentre as muitas, obtidas através da observação do campo e de entrevistas realizadas com alguns servidores da unidade em questão.

 


Palavras-chave


socioeducação; sujeitos; Baixada Fluminense; relações étnico-raciais

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/periferia.2016.27718

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil  

Revista Periferia, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas – PPGECC/UERJ - ISSN: 1984-9540