DESENVOLVIMENTO MORAL E A FRAGMENTAÇÃO DE UMA SOCIEDADE PÓS-MODERNA

Igor Guimarães de Azevedo de Araújo, Carla Azevedo de Luna

Resumo


DOI: 10.12957/periferia.2016.24747

O artigo tem como objetivo mostrar ao leitor uma estrutura de estudos, que levaram a uma teoria universal e estruturalista do desenvolvimento moral das pessoas e da sociedade, e ao mesmo tempo demonstrar a que ponto chegamos. São apresentados estudos que contemplam desde a formação de uma moral universal e estruturalista, com o pensamento do filósofo Immanuel Kant e sua influência para a teoria de Piaget e Kholberg, no desenvolvimento moral de uma pessoa dividida em seus específicos estágios, até os estudos atuais que mostram as conclusões de Bauman sobre a sociedade pós-moderna e suas implicações no âmbito social e pessoal. As consequências de uma fragmentação social em vários aspectos são colocadas à mostra a fim de chamar a atenção do leitor para ter consciência e percepção de sua existência. Um excesso de contradições é posto para o leitor confrontar com a pós-modernidade um quadro negativo de ações presentes, e levar à reflexão do que pode ser alcançado diante do que nós temos atualmente na nossa sociedade.


Palavras-chave


Kant; Piaget; Kohlberg; fragmentação; cultura do tédio

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/periferia.2016.24747

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil  

Revista Periferia, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas – PPGECC/UERJ - ISSN: 1984-9540