UM REI NEGRO NA BAIXADA FLUMINENSE: MEMÓRIA E ESQUECIMENTO

Elizabeth Castelano Gama

Resumo


Elizabeth Castelano Gama

DOI: 10.12957/periferia.2014.17274

O artigo discute o momento de falecimento do sacerdote de Candomblé Joãozinho da Goméia, que se tornou personagem célebre no Brasil entre os anos 1940 e 1970. Seu João era baiano de Inhambupe mas construiu sua trajetória pública no estado do Rio de Janeiro, na Baixada Fluminense. Após sua morte, seu nome esteve envolto em um processo de disputa de memória e esquecimento na cidade de Caxias que ganha novos contornos com o passar do tempo.


Palavras-chave


Joãozinho da Goméia, Candomblé; Baixada Fluminense

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/periferia.2014.17274

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil  

Revista Periferia, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas – PPGECC/UERJ - ISSN: 1984-9540