GEORGES DUHAMEL E A CONSTRUÇÃO DA NARRATIVA COM SUAS MEMÓRIAS IMAGINÁRIAS / Georges Duhamel and the construction of the narrative with his imaginary memories

Daniela Mantarro Callipo, Mariana Mansano Casoni

Resumo


Resumo: Apesar de ser um escritor pouco estudado, o francês Georges Duhamel (1844-1966) apresenta uma vasta bibliografia, suas obras passam por vários gêneros como a poesia, romances e ensaios. Este artigo tem como objetivo evidenciar seu lado crítico, bem como apresentar seu pensamento em relação à construção literária, sobretudo ao romance, principalmente o que ele denomina de memórias imaginárias, a qual seria a chave para a recriação do real e, consequentemente, traria o conhecimento da verdade. A partir da literatura comparada, é possível estabelecer pontos divergentes e convergentes entre sua obra Remarques sur les mémoires imaginaires (1933) e Du côté de chez Swann (1913) de Marcel Proust, no que se refere à busca pela verdade. Para ambos os autores, a verdade advém do sofrimento, no entanto, o mecanismo para chegar até ela se difere em suas obras, já que para Duhamel as memórias devem ser inventadas e não restituídas, visto que elas carregam paixões que as adulteram, enquanto que para Proust a verdade vem por meio do acaso e estão contidas nos objetos. A experiência do sofrimento vivido na Primeira Guerra Mundial trouxe a Duhamel um olhar diferenciado as suas narrativas, ele pôde, assim, transmitir suas experiências de vida de um modo não particular, mas universal, tentando sempre revelar a verdade a partir da ficção.


Palavras-chave


George Duhamel. Construção da narrativa. Memórias imaginárias.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/pr.2017.31608

Pensares em Revista no Diadorim Pensares em Revista na BASE Pensares em Revista no Diadorim Pensares em Revista no Google Scholar Pensares em Revista no Latindex Pensares em Revista no Livre Logo do Periódicos CAPES

 

R. Dr. Francisco Portela, 1470 - Patronato, São Gonçalo - RJ, CEP: 24435-005