Jane Austen e a identidade nacional nostálgica da Inglaterra

Maria Clara Pivato Biajoli

Resumo


O presente artigo analisa o processo de
reconstrução da obra da escritora inglesa
Jane Austen (1775-1817) desde o fim do
século XIX até o período pós-Segunda
Guerra Mundial. Esse processo é, em
grande parte, responsável pela imagem,
que ainda circula atualmente, de seus
romances como retratos pacíficos e
campestres de uma Inglaterra pré-
Revolução Industrial que foi perdida na
modernidade mas que, ainda assim,
constitui a essência da identidade inglesa.
Trata-se de uma reconstrução que ocorreu
tanto no âmbito acadêmico quanto por
meio da veneração de seus fãs, os
Janeites, e que resultou na transformação
de Austen em um patrimônio a ser
preservado. Tal resultado, além de
consolidar uma interpretação sobre a
autora e sua obra, pode ser observado
tanto na criação de um museu em sua
última casa, Chawton Cottage, como na
grande atração de turistas pelos locais
mencionados em seus romances ou
utilizados como cenários nas recentes
adaptações de suas obras para cinema e
televisão.

Palavras-chave


Jane Austen, Austenmania, Identidade Nacional, Nostalgia, Rural.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/palimpsesto.2018.38363

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Maria Clara Pivato Biajoli

 


ISSN 1809-3507 | DOI: 10.12957/palimpsesto


Palimpsesto é uma publicação do corpo discente do Programa de Pós-Graduação em Letras da UERJ:

UERJ >> Instituto de Letras >> Programa de Pós-graduação em Letras

 


Indexado nas seguintes bases:

 

Periodicos CAPES Latindex Find in a library with WorldCat MLA Livre MIAR ResearchBib BASE Logo UF Libraries University of Texas Libraries  Library Logo UCLA Library University of Wisconsin - Madison Libraries EZB


Licença Creative Commons

A Palimpsesto utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.