A CONSTÂNCIA TEMPORAL DA CRIAÇÃO POR NEḤEḤ E DJET: UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE A CONSTRUÇÃO CULTURAL DO TEMPO PARA OS ANTIGOS EGÍPCIOS

Giselle Marques Camara

Resumo


O estudo apresentado nesse artigo se debruça sobre o modo pelo qual a ideia de temporalidade no Antigo Egito pode ser compreendida por meio de sua corporificação na imagem de dois “deuses-princípios”: um deles manifestado pela polaridade feminina Djet e o outro pelo seu complemento masculino Neḥeḥ. Apesar de ambos os termos serem comumente traduzidos por “duas  eternidades” ou “eternidade/tempo”, respectivamente, Djet parece encerrar um princípio estático, manifestando uma concepção de tempo que se confunde com  espacialidade, enquanto Neḥeḥ expressa a ideia dinâmica dos ciclos ininterruptos da natureza.  Além de buscar expor de uma maneira objetiva o universo de sentido expresso pelo par, por meio de uma literatura sobre o tema já consagrada, o breve estudo busca lançar novos questionamentos sobre a interação de tais princípios cósmicos geradores de tempo.


Palavras-chave


Egito Antigo; Religião; Temporalidade no Antigo Egito

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/nearco.2020.45635

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 NEARCO - Revista Eletrônica de Antiguidade e Medievo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.