Uma Sistematização de Variáveis relacionando transição de Regime Político e Política Externa: comparando as redemocratizações argentina e brasileira | A Systematization of Variables connecting Regime Transition and Foreign Policy: comparing the democratization processes in Argentina and Brazil

Gabriel Fernandino

Resumo


Neste artigo, relacionamos Transição de Regime Político & Política Externa, realizando um estudo de caso comparado acerca das redemocratizações argentina e brasileira, no marco temporal de 1979 a 1990. Valendo-nos de teorias de referência da Transição de Regime, assim como de pressupostos do Realismo Neoclássico, elaboramos um quadro não-exaustivo que sistematiza variáveis explicativas da transição à democracia, em relação a efeitos possíveis em política externa. O nosso estudo foi realizado por meio da técnica da revisão de literatura e de documentos, em uma abordagem de cunho qualitativo, e com inferências produzidas por meio de comparação transversal e longitudinal. Na análise comparada, trabalhando com algumas das variáveis organizadas nosso quadro, concluímos que o modelo de transição é variável necessária, embora não suficiente, para explicar a formulação da política externa.

Palavras-chave: Brasil, Política Externa, Transição de regime político.

 ABSTRACT

In this article, we relate Political Regime Transition & Foreign Policy, carrying out a comparative case study about the democratization in Argentina and in Brazil, from 1979 to 1990. Referring to well-established theories of Regime Transition, as well as to assumptions of Neoclassical Realism, we propose a non-exhausting framework that systematizes explanatory variables of the transition to democracy, in relation to possible effects in foreign policy. Our study was carried out by means of literature and documents review, in a qualitative approach, and with inferences produced through cross-case and longitudinal comparisons. We conclude from the case study that the transition model is a necessary variable, although not sufficient, to explain the production of the foreign policy.

Keywords: Brazil, Foreign Policy, Regime transition.

Recebido em: 10 nov. 2021 | Aceito em: 15 jun. 2022.


Texto completo:

PDF

Referências


Belém Lopes, D.E. (2012). ‘Política externa democrática: oxímoro, quimera ou tendência?’, Revista Brasileira de Ciências Sociais, 27(80), pp.185-252.

Belém Lopes, D.E. (2011). ‘A política externa brasileira e a "circunstância democrática": do silêncio respeitoso à politização ruidosa’, Revista Brasileira de Política Internacional, 54(1), pp.67-86.

Belém Lopes, D.E. (2020).'De-westernization, democratization, disconnection: the emergence of Brazil's post-diplomatic foreign policy', Global affairs, v. 6, pp. 1-18.

Cisneros, A.; Escudé, C. (2000). Historia de las Relaciones Exteriores Argentinas. [online]. Disponível em: http://www.argentina-rree.com/historia.htm. [Acesso em: 25 Jan. 2022]

Côrtes, O. (2010). A Política externa do Governo Sarney: o início da reformulação de diretrizes para a inserção internacional do Brasil sob o signo da democracia. Brasília: FUNAG.

Dahl, R. (1997). Poliarquia: Participação e Oposição. São Paulo: Editora Universidade de São Paulo.

Fausto, B (1995). História do Brasil. São Paulo: EdUSP.

Fernández, M; Nohlen, D. (1991). Democratización y política exterior. análisis comparado en torno a tres casos: Argentina, Brasil y Uruguay. Universidad de Chile: Instituto de Estudios Internacionales.

Franco, G. (2008). A política externa do Governo Figueiredo: a abertura democrática e o debate na imprensa – O Brasil e os Estados Unidos, o Terceiro Mundo e o Eixo Regional. Instituto de Relações Internacionais, UNB. 2008.

Gardini, G. (2006). ‘Making Sense of Rapprochement between Argentina and Brazil, 1979-1982’. Revista Europea de Estudios Latinoamericanos y del Caribe, 80,.pp. 57-71.

Huntington, S. (1994). A Terceira Onda: Democratização no Final do Século XX. Editora Ática.

Klaveren, A. (1990). ‘Democratización y política exterior: el acercamiento entre Argentina y Brasil’. Affers Internacionals. 18. pp. 13-44.

Lafer, C. (2007). 'Novas variações sobre a política externa', O Estado de S. Paulo, 20.12.2009, p.A2.

Lima, M. R. S. (2000) 'Instituições democráticas e Política Exterior', Contexto internacional, 22 (2), pp. 265-303.

Lobell, E; Ripsman M; Taliaferro W. (2009). Neoclassical Realism, the State, and Foreign Policy. Cambridge University Press.

Mainwaring, S.; Pérez-Liñán, A. (2013). Democracies and dictatorships in Latin America: emergence, survival, and fall. Cambridge University Press.

Mainwaring, S.; Pérez-Liñán, A. (2005). 1Latin American Democratization since 1978: democratic transitions, breakdowns and erosions1. In: Mainwaring; Hagopian. The Third Wave of Democratization in Latin America. Cambridge U. Press. pp. 32-111.

Merke, F.; Tokatlian, J. (2014). ‘Instituciones y actores de la política exterior como política pública’. in Acuña C. Dilemas del Estado argentino: Política exterior, económica y de infraestructura en el siglo XXI. Buenos Aires: Siglo Veintiuno Editores. pp. 97- 189.

Martins, L. (1998) “A ‘liberalização’ do regime autoritário no Brasil” in O ́Donnell; Schmitter P; Whitehead L. Transiciones desde un gobierno autoritario. América Latina. Buenos Aires: Paidós. pp. 124-298.

O ́Donnell G.; Schmitter P; Whitehead L. (1998). Transiciones desde un gobierno autoritario. América Latina. Buenos Aires: Paidós.

Przeworski, A. (1994). Democracia e Mercado: reformas política e econômicas no Leste Europeu e na América Latina”. Rio de Janeiro: Dumará distribuidora.

Rose, G. (1998). Neoclassical Realism and Theories of Foreign Policy. Baltimore: Johns Hopkins University Press.

Saraiva, M. G..; Tedesco, L. (2001). ‘Argentina e Brasil: políticas exteriores comparadas depois da Guerra Fria’. Revista Brasileira de Política Internacional. 44 (2), pp.126-150.

Saraiva, J.F.S. (ed.) (2003). Foreign Policy and Political Regime. Brasília: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais.

Stoner, K.; McFaul, M. (2013). Transition to democracy: a comparative perspective. Baltimore: Johns Hopkins University Press.

Vidigal, C. (2007). Relações Brasil-Argentina: a construção do entendimento (1962-1986). Tese, UNB.

Zakaria, F. (1991). ‘Realism and Domestic Politics: A Review Essay. International Security’. Cornell University Press. 17 (1), pp. 112 -233.




DOI: https://doi.org/10.12957/rmi.2022.63390



Direitos autorais 2022 Gabriel Fernandino

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Revista Mural Internacional | e-ISSN 2177-7314

PPGRI - Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais

Rua São Francisco Xavier, 524, Pavilhão - João Lyra Filho, 9ºandar, Bloco F, sala 9037, Maracanã, Rio de Janeiro, RJ - Cep: 20550-013 - Tel. fax: (021) 2334 0678 /// E.mail –ppgri.revista@gmail.com