Relações Internacionais e Pensamento Ocidental/Moderno-Colonial: Balanços e Perspectivas | International Relations and Western/Modern-colonial thinking: balances and perspectives

Jerfferson Amorim de Souza

Resumo


A predominância do pensamento Ocidental/moderno-colonial no campo das Relações Internacionais tem despertado críticas de estudiosos vinculados ao Pensamento Decolonial e a outras matrizes de conhecimento. Este trabalho tem por objetivo apresentar uma sistematização da fundamentação filosófica-epistemológica da crítica decolonial ao pensamento moderno e sua repercussão nas Relações Internacionais e, a partir dessas contribuições, propor uma aproximação com alguns estudos que, fora do âmbito da colonialidade, discutem a predominância de um pensamento ocidental na disciplina. Como consequência da aproximação entre esses saberes diversos, apresentamos alguns balanços e perspectivas para a área: a necessidade de conexão entre epistemologia-ética-política; a reabilitação de conhecimentos e modos de conhecer não-Ocidentais sem renunciar ao método científico; uma visão não ingênua que leve em conta as questões de poder; e uma articulação entre saber e poder, teoria e política para uma práxis situada e histórica vertida à realidade internacional.

Palavras-chave: Racionalidade moderna; pensamento decolonial; epistemologia.

 ABSTRACT

The predominance of Western / modern-colonial thought in the field of International Relations has aroused criticism from scholars linked to Decolonial Thought and other knowledge matrices. This work aims to present a systematization of the philosophical-epistemological foundation of the decolonial critique of modern thought and its repercussion in International Relations and, based on these contributions, propose an approximation with some studies that, outside the scope of coloniality, discuss the predominance of a western thought in the discipline. As a consequence of the approximation between these diverse knowledges, we present some balances and perspectives for the area: the need for a connection between epistemology-ethics-politics; the rehabilitation of non-Western knowledge and ways of knowing without giving up the scientific method; a non-naive view that takes into account issues of power; and an articulation between knowledge and power, theory and politics for a situated and historical praxis turned to the international reality.

Keywords: Modern rationality; decolonial thinking; epistemology.

 

Recebido em: 29 jul. 2020 | Aceito em:  18 nov. 2020


Palavras-chave


Epistemologia, modernidade/colonialidade, racionalidade moderna

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, C. S. Di M. de; Elíbio Júnior, A. M. (2013). ‘Epistemologias do Sul: pós-colonialismos e os estudos das relações internacionais’, Cadernos do Tempo Presente, n. 14, pp. 05-11, [Online]. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/tempo/article/view/2684 [Acesso em: 28 jul. 2020].

Amorim, C. (2020). ‘Da necessidade da utopia’, Carta Maior, 09 setembro, [Online]. Disponível em: https://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/Da-Necessidade-da-Utopia/4/48676 [Acesso em: 01 nov. 2020].

Arreaza, C.; Tickner, A. B. (2002). ‘Postmodernismo, postcolonialismo y feminismo: manual para (in) expertos’, Colombia Internacional, n. 54, pp. 14-38, [Online]. Disponível em: https://revistas.uniandes.edu.co/doi/abs/10.7440/colombiaint54.2002.01 [Acesso em: 28 jul. 2015].

Castro, T. (2012). Teoria das Relações Internacionais. Brasília: MRE/FUNAG.

Dardot, P.; Laval, C. (2017). Comum: ensaio sobre a revolução no século XXI. São Paulo: Boitempo.

Dutra, L. (2015). ‘Teoria das Relações Internacionais: do realismo à teoria verde’, Século XXI, 6 (1), pp. 109-122, [Online]. Disponível em: http://seculoxxi.espm.br/index.php/xxi/article/view/110 [Acesso em: 30 set. 2020].

Espanhol, C. de O. (2017). O pensamento decolonial como perspectiva contra-hegemônica nos debates teóricos das Relações Internacionais, [Online]. Disponível em: https://www.encontro2017.abri.org.br/resources/anais/8/1498419261_ARQUIVO_ARTIGOABRI2017-CarlaEspanhol.pdf [Acesso em: 10 out. 2020].

Fanon, F. (2011). ‘Racismo e cultura’. In M. S. Ribeiro, Malhas que os impérios tecem: textos anticloniais, contextos pós-coloniais, Lisboa: Manuela Ribeiro Sanchez e Edições 70, pp. 273-285.

Fernández, M. (2019). ‘As Relações Internacionais e seus epistemicídios’, Moções: Revista de Relações Internacionais da UFGD, 8 (15), pp. 458-485, [Online]. Disponível em: https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/moncoes/article/view/11552 [Acesso em: 10 out. 2020].

Fonseca, M.; Jerrems, A. (2012) ‘Pensamiento decolonial: ¿una “nueva” apuesta en las relaciones internacionales?’, Relaciones Internacionales, n. 19, pp. 103-121, [Online]. Disponível em: https://repositorio.uam.es/handle/10486/668333 [Acesso em: 29 jun. 2020].

Gonçalves, W.; Monteiro, L. V. (2015). ‘O monopólio das teorias anglo-saxãs no estudo das relações internacionais’, Século XXI, 6 (1), pp. 53-70, [Online]. Disponível em: http://seculoxxi.espm.br/index.php/xxi/article/viewFile/107/108 [Acesso em: 17 set. 2020].

Grosfoguel, R. (2008). ‘Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global’, Revista Crítica de Ciências Sociais, 80, pp. 115-147, [Online]. Disponível em: https://journals.openedition.org/rccs/697 [Acesso em: 28 jul. 2020].

Grosfoguel, R. (2007). ‘Descolonizando los universalismos occidentales: el pluri-versalismo transmoderno decolonial desde aimé césaire hasta los zapatistas’. In S. Castro-Gómez e R. Grosfoguel, El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global, Bogotá: Siglo del Hombre/Universidad Central/Instituto de Estudios Sociales Contemporáneos/Pontificia Universidad Javeriana/Instituto Pensar, pp. 63-77, [Online]. Disponível em: http://www.unsa.edu.ar/histocat/hamoderna/grosfoguelcastrogomez.pdf [Acesso em: 02 nov. 2020].

Hurrell, A. (2016). ‘Towards the Global Study of International Relations’, Revista Brasileira de Política Internacional, 59 (2), e008, [Online]. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbpi/v59n2/1983-3121-rbpi-59-02-e008.pdf [Acesso em: 15 out. 2020].

Inoue, C.; Tickner, A. B. (2016). ‘Many Worlds, Many Theories?’, Revista Brasileira de Política Internacional, 59 (2), e001, [Online]. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbpi/v59n2/0034-7329-rbpi-59-02-e001.pdf [Acesso em: 15 out. 2020].

Liu, T. T-T. (2016). ‘Teaching IR to the Global South: Some Reflections and Insights’, Revista Brasileira de Política Internacional, 59 (2), e004, [Online]. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbpi/v59n2/0034-7329-rbpi-59-02-e004.pdf [Acesso em: 25 out. 2020].

Mignolo, W. (2008). ‘La opción descolonial’, Letral, n. 1, pp. 04-22, [Online]. Disponível em: https://revistaseug.ugr.es/index.php/letral/article/view/3555/3543 [Acesso em: 28 jul. 2020].

Neske, M. Z. (2014). Colonialidade e desenvolvimento: a ressignificação do lugar em “zonas marginalizadas” no sul do Rio Grande do Sul. Tese de Doutorado, Ciências Econômicas/Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/109252 [Acesso em: 28 jul. 2015].

Nogueira, J. P.; Messari, N. (2005). Teoria das Relações Internacionais: correntes e debates. Rio de Janeiro: Elsevier.

Querejazu, A. (2016). ‘Encountering the Pluriverse: Looking for Alternatives in Other Worlds’, Revista Brasileira de Política Internacional, 59 (2), e007, [Online]. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbpi/v59n2/1983-3121-rbpi-59-02-e007.pdf [Acesso em: 15 out. 2020].

Quijano, A. (1992). ‘Colonialidad y modernidad/racionalidad’, Perú Indígena, 13(29), pp. 11-20, [Online]. Disponível em: http://www.lavaca.org/wp-content/uploads/2016/04/quijano.pdf [Acesso em: 27 fev. 2019].

Quijano, A. (2005). ‘Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina’. In E. Lander (org.), A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: Clacso, pp. 107-130, [Online]. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/2591382/mod_resource/content/1/colonialidade_do_saber_eurocentrismo_ciencias_sociais.pdf [Acesso em: 28 jul. 2020].

Rodrigues, T. (2013). ‘Agonismo y genealogía: hacia una analítica de las Relaciones Internacionales’, Relaciones Internacionales, 24, pp. 89-107, [Online]. Disponível em: https://revistas.uam.es/relacionesinternacionales/article/view/5193/5639 [Acesso em: 30 set. 2020].

Rodríguez, F. G. (2013). ‘Enfoques postcoloniales en relaciones internacionales: un breve recorrido y sus desarrollos teóricos’, Relaciones Internacionales, 22, pp. 85-107, [Online]. Disponível em: https://revistas.uam.es/index.php/relacionesinternacionales/article/view/5164/5612. [Acesso em: 02 nov. 2020].

Robles, G. A. A. (2010). ‘Las complicidades del saber-poder em el mainstream de las relaciones internacionales: una aproximación para abrir el debate’, Diálogos de saberes, 33, pp. 287-299, [Online]. Disponível em: http://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=3618669 [Acesso em: 30 jul. 2020].

Santos, B. de S. (2007). ‘Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes’, Novos Estudos (CEBRAP), 79, pp. 71-94 [Online]. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/nec/n79/04.pdf [Acesso em: 02 nov. 2020].

Santos, B. de S. (2010). ‘From the Postmodern to the Postcolonial – and beyond both’. In E. G. Rodríguez, M. Boatcã e S. Costa, Decolonizing European Sociology: transdiciplinary approaches. England: Ashgate [Online]. Disponível em: http://www.boaventuradesousasantos.pt/media/From%20the%20Postmodern%20to%20the%20Postcolonial_2010.PDF [Acesso em: 20 ago. 2020].

Santos, B. de S. (2020). A cruel pedagogia do vírus. Coimbra: Edições Almedina [Online]. Disponível em: http://www.abennacional.org.br/site/wpcontent/uploads/2020/04/Livro_Boaventura.pdf [Acesso em: 13 jun. 2020].

Walker, R. B. J. (2013). Inside/outside: Relações Internacionais como teoria política. Rio de Janeiro: Editora PUC-Rio/Editora Apicuri.

Woodward, K. (2004). Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In T. T. de Silva (Org). Petrópolis: Editora Vozes.




DOI: https://doi.org/10.12957/rmi.2020.53234



Direitos autorais 2020 Jerfferson Amorim de Souza

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Revista Mural Internacional | e-ISSN 2177-7314

PPGRI - Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais

Rua São Francisco Xavier, 524, Pavilhão - João Lyra Filho, 9ºandar, Bloco F, sala 9037, Maracanã, Rio de Janeiro, RJ - Cep: 20550-013 - Tel. fax: (021) 2334 0678 /// E.mail –ppgri.revista@gmail.com