Governança Estratégica no Atlântico Sul sob o Enfoque das Comunidades de Segurança | Strategic Governance in the South Atlantic from the perspective of Security Communities

Alexandre Rocha Violante, Etiene Villela Marroni, Ricardo Pereira Cabral

Resumo


Este estudo tem por objetivo apresentar uma abordagem teórica a partir de conceitos correlatos das Relações Internacionais e da Geopolítica para o Atlântico Sul, particularmente para a América do Sul Atlântica. Propõe-se demonstrar a necessidade da governança estratégica para o Brasil e seus países lindeiros, procurando compreender ações brasileiras para o estabelecimento de uma Comunidade de Segurança na região, vislumbrando um Complexo Regional de Segurança no Cone Sul. Como método, procedeu-se a análise de conteúdo de autores que, há muito, discutem o tema. Concluiu-se que o estabelecimento de uma Comunidade de Segurança fracassou ante interesses políticos internos dos Estados partícipes e da presença, cada vez mais assertiva, de potências extrarregionais no Atlântico Sul, em que pese a tentativa ocorrida de forma mais assertiva a partir da segunda metade dos anos 2000, por meio de uma governança estratégica.

Palavras-chave: Governança; Atlântico Sul; Comunidade de Segurança; Complexos Regionais; Geopolítica.

ABSTRACT

This research aims to present a theoretical approach based on related concepts of International Relations and Geopolitics for the South Atlantic, particularly for South America Atlantic. It is proposed to demonstrate the need for strategic governance for Brazil and its bordering countries, seeking to understand Brazilian actions for the establishment of a Security Community in the region, to conform a Regional Security Complex in the Southern Cone. As a method, the analysis was carried out content of authors who have been discussing the topic for a long time. It was concluded that the establishment of a Security Community failed due to the internal political interests of the participating states and the presence, increasingly assertive, of extra-regional powers in the South Atlantic, despite the attempt made more assertively from the second half onwards 2000s, through strategic governance.

Keywords: Governance; South Atlantic; Security Community; Regional Complexes; Geopolitics.

Recebido em 22 mai. 2020 | Aceito em 23 dez. 2020.


Palavras-chave


Atlântico Sul; Geopolítica Oceânica; Governança; História das Relações Internacionais

Texto completo:

PDF

Referências


Adler, E.; Barnett, M. (Org.) (1998). Security Communities. Cambridge: Cambridge University Press.

Bardin, L. (2011). Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Barros, P. S.; Gonçalves, J. B. (2019). ‘Fragmentação da Governança Regional, o Grupo de Lima e a política externa brasileira’. Mundo e Desenvolvimento: Revista do Instituto de Estudos Econômicos e Internacionais, 2(3), 6-39. Disponível em: . [Acesso em 20 nov. 2020].

Blower, A. M. (2014). A Unasul e a Relação Civil-Militar no Brasil. Dissertação de Mestrado em Estudos Estratégicos da Defesa e da Segurança, Universidade Federal Fluminense, Instituto de Estudos Estratégicos.

Borda, S. (2012). ‘Desafíos y oportunidades de la Unión de Naciones Suramericanas – UNASUR’. Documentos Cries, Buenos Aires, 18. Disponível em: . [Acesso em: 19 de Nov. 2020].

Botelho, J. C. A. (2013). La creación y la evolución de Unasur. Curitiba: Juruá Editora.

Buzan, B. (1983). People, States and Fear. Bringhton: Whaeatsheaf Books.

Buzan, B. (1991). ‘New patterns of global security in the twenty-first century’. International affairs, 67(3), 431-451. https://doi.org/10.2307/2621945

Buzan, B., Waever, O. (2003). Regions and Powers. The Structure of International Security. Cambridge: Cambridge University Press.

Buzan, B.; Waever, O.; De Wilde, J. (1998). Security: a new framework for analysis. Boulder: Lynne Rienner Publishers.

Castro, T. (1999). Geopolítica. Princípios, meios e fins. Rio de Janeiro: Bibliex.

Coates, A. (2017). ‘Nationalism threatens Antarctica´s future as a peaceful hub for Science’. The Independent. [Online]. Disponível em: http://www.independent.co.uk/news/science/ nationalism-threat-antarctica-future-as-peaceful-hub-for-science-oild-mining-land-grab-territorial-a7622721.html. [Acesso em: 30 mar. 2017].

Costa, W. M. da (2012). ‘Projeção do Brasil no Atlântico Sul: geopolítica e estratégia’. São Paulo: Revista da USP. (95)9-22. Setembro/Outubro/Novembro. [Online]. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/revusp/article/viewFile/52234/56270. [Acesso em: 14 jan. 2017].

Deutsch, K. (1978). Análise das Relações Internacionais. Brasília: Editora Universidade de Brasília.

Figueiredo, E. L. (2015). ‘Estudos Estratégicos como Área de Conhecimento Científico’. Rev. Bra. Est. Def. 2(2), jul./dez., pp.107-128, ISSN 2358-3932. Disponível em: file:///C:/Users/etiene/Downloads/63090-269408-2-PB%20(3).pdf. [Acesso em: 21 Nov. 2020].

Figueiredo, J. (2019). ‘Em Santiago, representantes de oito países selam o nascimento de novo bloco sul-americano, o Prosul’. O Globo. [Online]. Disponível em: https://oglobo.globo.com/mundo/em-santiago-representantes-de-oito-paises-selam-nascimento-de-novo-bloco-sul-americano-Prosul-23543251. [Acesso em: 01 mai. 2019].

Frenkel, A. (2019). Prosur: el último Frankenstein de la integración sudamericana. Nueva Sociedad. Disponível em: https://www.nuso.org/articulo/prosur-integracion-america-latina-derecha-alianza/. [Acesso em: 18 nov. 2020].

Fuccille, A.; Rezende, L. P. (2013). ‘Complexo regional de segurança da América do Sul: uma nova perspectiva’. Contexto Internacional, 35(1), pp.77-104. ISSN 0102-8529. https://doi.org/10.1590/S0102-85292013000100003.

García, R. S. D. T. (2018). Os interesses geopolíticos do Brasil na Guiana Essequiba três períodos-chaves na compreensão da posição brasileira diante da reclamação territorial empreendida pela Venezuela ante a Guiana. Repositório Universidade Federal de Roraima (UFRR).

Gray, C.; Sloan, G. (2005). Geopolitics, Geography and Strategy. New York: Routledge.

Hurrell, A. (1998). An emerging security communitie in South America? In: Adler, E.; Barnett, M. (Org.). Security Communities. Cambridge: Cambridge University Press, p.228-261.

Kolodziej, E. A (1995). ‘A Segurança Internacional depois da Guerra Fria: da globalização à regionalização’. Contexto Internacional, Rio de Janeiro, 17(2), jul./dez. [Online]. Disponível em: http://contextointernacional.iri.puc-rio.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=228&sid=42. [Acesso em: 18 fev. 2018].

Marinha do Brasil (2017). Comando do Controle Naval do Tráfego Marítimo recebe a Visita Operativa do Coordenador da Área Marítima do Atlântico Sul. [Online]. Disponível em: https://www1.mar.mil.br/comcontram/?q=content/21-e-23032017-comando-do-controle-naval-do-tr%C3%A1fego-mar%C3%ADtimo-recebe-visita-operativa-do. [Acesso em: 10 mai. 2017].

Marroni, E. V.; Asmus, M. L. (2013). ‘Geopolitical Strategy for the Territorialism of Oceans and Seas’. International Journal of Geosciences, 4(07):1051. DOI:10.4236/ijg.2013.47098.

Meira Mattos, C. de (1977). A Geopolítica e as Projeções do Poder. Rio de Janeiro: Bibliex.

Meira Mattos, C. de (2011). Brasil: Geopolítica e Modernidade. Geopolítica. BIBLIEx/FGV Editora, V.2.

Medeiros Filho, O. (2010). Entre a cooperação e a dissuasão: políticas de defesa e percepções militares na América do Sul. Tese de Doutorado em Ciência Política, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo.

Nery, T. (2016). ‘Unasul: a dimensão política do novo regionalismo sul-americano’. Cad. CRH, vol.29, n.spe3, pp.59-75. ISSN 1983-8239. https://doi.org/10.1590/S0103-49792016000400005.

Penha, E. A. (2011). Relações Brasil-África e Geopolítica do Atlântico Sul. Salvador: EDUFBA.

Rocha Valencia, A.; Morales Ruvalcaba, D. (2013). Desafíos en la construcción de la Unión de Naciones de Suramérica. Mercosul a Unasul: Avanços do Processo de Integração, RM Gadelha (Org.) São Paulo: Educ-Fapesp.

Saraiva, M. G. (2011). Integração regional na América do Sul: processos em aberto. 3° Encontro Nacional ABRI 2011 (ENABRI), São Paulo (SP, Brasil) [online]. Disponível em: http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=MSC0000000122011000300028&lng=en&nrm=iso. [Acesso em: 21 de nov. 2020].

Serbin, A. (2011). ‘Unasur frente a las crisis regionales. Multipolaridad, liderazgos e instituciones regionales’. Os novos rumos do regionalismo e as alternativas políticas na América do Sul. Belo Horizonte: Ed. PUC-Minas.

Viegas Filho, J. (2016). A Segurança do Atlântico Sul e as Relações com a África. Brasília: FUNAG.

Violante, A. R. (2017). Política Externa, Política de Defesa e Cooperação Sul-Sul Como Grande Estratégia na África Ocidental: um Estudo de Caso em Cabo Verde e São Tomé e Príncipe. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Estudos Estratégicos do Instituto de Estudos Estratégicos da Universidade Federal Fluminense (UFF), 366p. [Online]. Disponível em: http://www.ppgest.uff.br/images/Disserta/2017/Dissertao%20Alexandre%20 Rocha%20Violante.pdf. [Acesso em 05 abr.2018].




DOI: https://doi.org/10.12957/rmi.2020.51199



Direitos autorais 2020 Alexandre Rocha Violante, Etiene Villela Marroni, Ricardo Pereira Cabral

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Revista Mural Internacional | e-ISSN 2177-7314

PPGRI - Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais

Rua São Francisco Xavier, 524, Pavilhão - João Lyra Filho, 9ºandar, Bloco F, sala 9037, Maracanã, Rio de Janeiro, RJ - Cep: 20550-013 - Tel. fax: (021) 2334 0678 /// E.mail –ppgri.revista@gmail.com