Histórico do periódico

A Mural Internacional foi criada em 2010 pelo corpo docente dos professores do Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais da Universidade do Rio de Janeiro. Seu objetivo principal é divulgar e fomentar o debate sobre pesquisas da área de Relações Internacionais, desde uma perspectiva abrangente de diferentes sub-áreas do campo de estudos. Com vistas a incluir trabalhos de diferentes procedências, a revista aceita artigos em português, espanhol e inglês. A nossa publicação é online e gratuita, a partir do Open Journal System, o que garante a sua completa acessibilidade. O público alvo ao qual a Mural Internacional está dirigida são pesquisadores, professores e estudantes das Relações Internacionais, assim como também, algumas disciplinas afins (Ciência Política, Sociologia e Economia). Até 2018 a revista se publicava semestralmente, o que levava a ter dois volumes editados ao ano. Sua estrutura dividia-se entre uma parte de contribuição especial orientada para artigos de operadores de política externa e relações internacionais, e para pesquisadores de especial projeção internacional; seguida de um corpo principal formado por artigos originais escritos a partir de reflexões e pesquisas; avaliado pelo sistema de pareceristas de revisão cega por pares (double-blind); e, por último, uma seção de resenhas de livros recentes que tiveram impacto no estudo das Relações Internacionais. Atualmente, a revista se publica na modalidade de fluxo continuo, o que garante a publicitação dos artigos assim que eles são aprovados pelo sistema duplo e cego de pareceristas, sem necessidade de esperar ao fechamento dos números e volumes para a sua publicação, contribuindo assim, com o principal objetivo da Revista, a circulação e geração de conhecimento original em Relações Internacionais. Dessa maneira, a revista passa a ser publicada de maneira anual, com um fluxo contínuo de publicações até que se feche o ano, quando se fecha também o volume. A Mural Internacional já está incluída nas bases de indexadores importantes, e seu Conselho Editorial é composto por professores/as e pesquisadores/as de diferentes instituições e países.