Máquinas de guerra e precariedade: saúde mental de prostitutas em meio à pandemia do Novo Coronavírus.

Adriely de Oliveira Clarindo, Rafaela Werneck Arenari

Resumo


O cenário pandêmico deflagrou a importância dos cuidados em saúde mental da população em geral. No entanto, grupos de trabalhadoras sexuais colocam sob nossas vistas que a perpetuação e o adensamento da precariedade a que estão sujeitos certos grupos podem implicar na exacerbação de sofrimentos psíquicos já existentes.  Observando que os debates sobre saúde para esta população direcionaram suas preocupações majoritariamente às infecções sexualmente transmissíveis, neste trabalho objetivamos evidenciar os contornos da pandemia e sua incidência sobre a saúde mental das trabalhadoras sexuais. Para isso, trazemos à cena uma disparadora narrativa de trabalhadoras sexuais que, no cenário pandêmico, não puderam cessar suas atividades. Além disso, problematizamos como as falhas nos processos formativos em psicologia quanto às questões de gênero e sexualidade podem gerar consequências nas práticas em psicologia e na saúde mental destas populações; e concluímos sugerindo posicionamentos éticos nas práticas profissionais diante daqueles grupos considerados desviantes.

 

 


Palavras-chave


prostitutas, pandemia, saúde mental.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/mnemosine.2022.66390

Apontamentos

  • Não há apontamentos.