A memória coletiva para Jöel Candau e Maurice Halbwachs: coesão dos grupos sociais em um mesmo espaço.

Nicolli Bueno Gautério, Renata Ovenhausen Albernaz

Resumo


Por meio da memória são construídos alguns tipos de nexos entre sujeito e espaço no tempo, compondo os sentidos históricos dos territórios. Este trabalho tem como objetivo relacionar conceitualmente, a partir das obras A Memória Coletiva (HALBWACHS, 1990) e Memória e Identidade”(CANDAU, 2019), como os autores explicam o fato de a memória coletiva operar na coesão dos grupos sociais que compartilham um mesmo espaço-tempo no território urbano. O estudo foi realizado a partir da revisão bibliográfica acerca dos eixos de memória coletiva e as relações destes conceitos com o espaço urbano, um espaço dotado de múltiplos atores sociais que constroem nexos entre seus grupos de convívio e o fluxo da cidade. Conclui-se que a cidade é um espaço complexo e dinâmico, com grupos marcados por diferenças e disputas entre si. Tais grupos constituem-se em redes de memórias compartilhadas e criam tecnologias para estabelecer noções de continuidade, onde ancoram memórias e esquecimentos.

 

 

 


Palavras-chave


Fenômeno memorial, Memória coletiva, Espaço urbano.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/mnemosine.2022.66384

Apontamentos

  • Não há apontamentos.