A construção identitária da Psicologia no Brasil: retratos da ditadura civil-militar brasileira

Renan Vieira de Santana Rocha

Resumo


O nascimento e o desenvolvimento da Psicologia Brasileira estão diretamente correlacionados com a época da Ditadura Civil-Militar Brasileira. Nesse sentido, este artigo, estruturado sob o formato de um ensaio teórico-crítico, objetiva analisar como os elementos próprios da Ditadura Civil-Militar Brasileira refletiram e influenciaram na construção da Psicologia, de suas instituições representativas e de suas práticas profissionais e políticas na realidade do Brasil, partindo de uma breve retomada histórica dos componentes que propiciaram a instauração do regime e das diferentes formas como o poder foi exercido pelas Forças Armadas e pelas elites econômicas da época, ressaltando também as características confluentes de todos os campos de análise apresentados. Para tanto, o texto se estrutura em três eixos centrais: (1) Histórico da Ditadura Civil-Militar Brasileira e alguns de seus Reflexos na Construção da Psicologia no Brasil; (2) Influências da Estrutura Ditatorial no Modus Operandi da Psicologia Brasileira; e (3) Arremates: Libertar as Práticas para Libertar os Sujeitos.


Palavras-chave


Psicologia; Ditadura; Organizações Profissionais

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/mnemosine.2021.62174

Apontamentos

  • Não há apontamentos.