Política e totalitarismo na obra de Hannah Arendt: elementos de uma biopolítica

Ricardo George de Araújo Silva

Resumo


Ao tratar da biopolítica em Hannah Arendt tem-se por objetivo demonstrar que a autora, mesmo sem ter usado o sintagma em questão, o mobilizou em suas considerações teóricas, sobretudo no que concerne a uma administração da vida ou, dito de outra maneira, na perspectiva de uma forma de governo que determinava quem podia viver e quem deveria morrer. Em nosso entendimento, isso foi flagrantemente observável no totalitarismo, sobretudo nos campos de concentração. Desse modo, mostraremos que a noção de política em Arendt visa a liberdade. Esta noção se encontra em oposição à vida reduzida a mera administração. Elegemos como metodologia a exegese textual já consagrada nos estudos em filosofia.


Palavras-chave


biopolítica; política; totalitarismo; Hannah Arendt

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/mnemosine.2021.62171

Apontamentos

  • Não há apontamentos.