Clínicas da violência: contribuições da psicanálise

Ana Clara Daher Carneiro Ferraz, Beatriz Oliveira da Silva, Fábio Santos Bispo, Jaqueline Ribeiro Vargas, Júlia Ott Dutra, Natalia Soares Dalfior

Resumo


O artigo discute contribuições psicanalíticas para uma clínica da violência, a partir da experiência do projeto de extensão Supervisão clínico-institucional para a equipe do Serviço de Atenção às Pessoas em Situação de Violência de Vitória (SASVV). O projeto, orientado à luz da psicanálise, propõe três eixos de trabalho: político-institucional, teórico-crítico e prático-clínico. Descrevemos a metodologia utilizada, inspirada nas conversações psicanalíticas (MILLER, 2005) e em outras propostas de psicanálise em situações sociais críticas (BROIDE; BROIDE, 2016). Discorremos também acerca de contribuições psicanalíticas para tratar da complexidade envolvida nas situações de violência, como as noções de ancoragens (BROIDE; BROIDE, 2016) e alçamento (GUERRA; MOREIRA, 2020), para pensar estratégias clínicas de trabalho em rede e com os pacientes; e a noção de prática entre vários (DI CIACCIA, 2005), para lidar com a multiplicidade de saberes envolvidos na abordagem clínica da violência.

Palavras-chave


Psicanálise. Clínica da violência. Supervisão clínico-institucional

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/mnemosine.2021.61846

Apontamentos

  • Não há apontamentos.