O modo de produção capitalista e a subjetividade individualista subjacente: reflexos sobre a espacialidade urbana

Joceli de Fatima Arruda Sousa

Resumo


O trabalho tratará da conceituação de Estado a partir dos aportes de alguns autores. Mostrará ainda que o capitalismo possui peculiaridades no contexto brasileiro. Destarte, pressupõe a identificação das duas classes conflitantes em torno do capital, a classe dominante – os detentores do capital ou a burguesia – e a classe dominada – a classe trabalhadora ou o proletariado. Assim, se poderá demonstrar como a subjetividade dos sujeitos inseridos nesse contexto, tomando tal subjetividade sob as diferentes formas de “individualização” decorrentes do individualismo, é efeito desse modo de produção. Essa individualização, essa racionalidade, produz igualmente o modo como esses sujeitos distribuem-se na espacialidade, ou seja, como os territórios também passam por um intenso processo de individualização. Em última análise, esses sujeitos individualistas terminam por esvaziar e privatizar os espaços anteriormente públicos, o que prejudica a socialização do sujeito inserido no processo de acumulação capitalista, causando o recrudescimento dos conflitos sociais.

Palavras-chave


Estado; Capitalismo; Subjetividade; Trabalho

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.