O projeto da psicologia como ciência da experiência: ascensão e declínio do império dos sentidos

Arthur Arruda Leal, André Luis Pereira

Resumo


O artigo analisa as transições conceituais no projeto da psicologia enquanto ciência da experiência, estudando o progressivo abandono do conceito de sensação. Este conceito, para a chamada psicologia clássica, representava uma espécie de unidade básica – objetiva e matematizável – da experiência, superando as críticas kantianas. A primeira perturbação neste paradigma sensorial foram as Gestaltqualitat postuladas por Eherenfels, uma experiência não redutível às sensações. Posteriormente, a Escola de Berlim se destacou perante as demais escolas gestaltistas (Graz e Leipzig), ao afirmar a autonomia das Formas com base em conceitos físicos como Campo e Equilíbrio, provocando o esgotamento e a ruptura com o modelo sensorial.

Palavras-chave


História da Psicologia; Paradigmatismo; Psicologia clássica; gestaltismo

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.