Uma reflexão sobre a história em Nietzsche e Foucault: a história efetiva como contramemória

Edvaldo Nabuco

Resumo


Em sua Segunda Consideração Intempestiva, Friedrich Nietzsche critica o sentido histórico que diversos autores deram à História. Fazendo da crítica à noção de processo histórico uma crítica da modernidade, demonstra como o excesso de conhecimento que originou diversas ciências, inclusive a História, pôde levar o ser humano àquilo que ele chama “febre histórica”. É neste contexto que Nietzsche formula suas críticas à modernidade e destaca que devemos ter um esquecimento produtivo como forma de escapar a esta doença histórica e vivermos com felicidade. Para tanto, propõe um rompimento com a história como única forma de almejarmos a felicidade. Neste artigo, pretende-se avaliar as considerações sobre o modo a-histórico de Nietzsche e entender como ele se articula com a história efetiva trazida com o texto de Michel Foucault Nietzsche, a genealogia e a história.

Palavras-chave


história; genealogia; memória

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.