Lendo a quarentena

Lucas Bandeira de Melo Carvalho

Resumo


Este artigo é uma tentativa de abordar as práticas de leitura e escrita em momentos de emergência usando como método o ensaio pessoal, isto é, uma investigação, a partir de uma experiência individual mas com­partilhada, da relação entre sujeito e texto durante eventos que modificam a percepção de tempo e espaço. Parte-se dessa experiência compartilhada – a reclusão mais ou menos voluntária no primeiro semestre de 2020 em decorrência da pandemia mundial da Covid-19 – para investigar de que modo um evento como esse transforma a maneira como escolhemos e nos relacionamos com textos antigos e contemporâneos, artísticos e jornalísticos, com ênfase na leitura dos diários produzidos e publicados durante o primeiro semestre de 2020. O artigo também pretende fazer um mapeamento inicial e subjetivo dos textos testemunhais publicados sobre a pandemia. O objetivo não é construir uma tipologia atemporal das formas de leitura ou dos diários, mas descrever estratégias possíveis de leitura e escrita mediadas pela ideia de emergência.


Palavras-chave


Leitura; Diários; Quarentena.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/matraga.2021.51223

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 


ISSN 1809-3507 | DOI: 10.12957/matraga


Matraga é uma publicação do Programa de Pós-Graduação em Letras da UERJ:

UERJ >> Instituto de Letras >> Programa de Pós-graduação em Letras

 


Indexado nas seguintes bases:

 

Periodicos CAPES Latindex Find in a library with WorldCat MLA Livre DRJI MIAR BASE Logo University of Texas Libraries   UCLA Library University of Wisconsin - Madison Libraries EZB Google Acadêmico DOAJ Journal Tocs DOAJ


Licença Creative Commons

A Matraga utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.