A literatura engajada em 'Beloved', de Toni Morrison

Tiago Marques Luiz, Lucilia Teodora Villela de Leitgeb Lourenço

Resumo


Este trabalho tem como objetivo apresentar a importância da matéria linguística na literatura, demonstrando resistência em comparação ao nominado inglês padrão. No primeiro momento, são usadas relações específicas do uso do inglês vernáculo negro em detalhes, para indicar a resistência da temática na escrita de Morrison em comparação com o padrão inglês. O corpus escolhido para este artigo é Beloved, de Toni Morrison, no qual o uso do dialeto inglês vernáculo afro-americano estudado por Labov entre outros estudiosos se faz presente. A autora circunscreve sua escrita no movimento pelos direitos civis recomendado por Martin Luther King. Tais características linguísticas que permeiam a escrita de Morrison são peculiares a um seleto grupo de falantes, perpetuado pela segregação estabelecida pela maioria branca e, por estar presente na materialidade literária, demonstra sua natureza cronológica e sociológica de resistência.


Palavras-chave


Movimento dos Direitos Civis. African American Vernacular English. Resistência. Toni Morrison.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/matraga.2019.42368

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 


e-ISSN 2446-6905 | DOI: 10.12957/matraga


Matraga é uma publicação do Programa de Pós-Graduação em Letras da UERJ:

Logomarca UERJ  Logomarca Instituto de Letras  Logomarca Pós-graduação

 


Indexado em:


Licença Creative Commons
A Matraga utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.