Autoficção como dispositivo: alterficções

Evando Nascimento

Resumo


Aborda-se a autoficção, interpretando-a não como um novo gênero, mas sim como um dispositivo ou categoria reflexiva. Propõe-se a revisão de alguns temas ligados ao neologismo inventado pelo crítico e escritor francês Serge Doubrovsky em 1977. Distingue-se autoficção de autobiografia, propondo-se igualmente um terceiro termo, a alterficção. Por fim, é dado um testemunho pessoal sobre a autoficção como fator inventivo.

 

---

DOI: http://dx.doi.org/10.12957/matraga.2017.31606

 


Palavras-chave


Autoficção. Autobiografia. Alterficção. Gênero. Testemunho.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/matraga.2017.31606

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 


ISSN 1809-3507 | DOI: 10.12957/matraga


Palimpsesto é uma publicação do Programa de Pós-Graduação em Letras da UERJ:

UERJ >> Instituto de Letras >> Programa de Pós-graduação em Letras

 


Indexado nas seguintes bases:

 

Periodicos CAPES Latindex Find in a library with WorldCat MLA Livre DRJI MIAR BASE Logo University of Texas Libraries   UCLA Library University of Wisconsin - Madison Libraries EZB Google Acadêmico DOAJ Journal Tocs DOAJ


Licença Creative Commons

A Matraga utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.