Aspectos que caracterizam fluência em segunda língua

Lia Abrantes Antunes Soares

Resumo


Pesquisas descritivas que envolvem o sistema sonoro das línguas requerem trabalho técnico para que fenômenos prosódicos sejam interpretados e confrontados com o conhecimento intuitivo e impreciso, em geral, expresso por meio de metáforas. Neste artigo, sugerimos que uma abordagem técnica da categoria prosódica fluência oferece descrição consistente para nortear julgamento confiável desse critério tanto em contexto de ensino/aprendizagem, quanto em contexto de avaliação de proficiência em segunda língua (L2, LE, LA). Entendemos ser necessário conhecer como o fenômeno se apresenta durante a produção da fala em L2, para que se possa apontar e justificar ocorrência ou ausência de determinadas características expressas em segundos pelo aprendiz. Assim, descrever, tecnicamente, aspectos envolvidos na composição da categoria prosódica fluência, com maior atenção às pausas, é o objetivo deste artigo. Para tanto, problematizamos o conceito de fluência em descritores de níveis de proficiência do Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas, a fim de contribuir para julgamento acurado dessa categoria.

 

---

DOI: http://dx.doi.org/10.12957/matraga.2017.28174


Palavras-chave


descrição, fluência em L2, pausa.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/matraga.2017.28174

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 


ISSN 1809-3507 | DOI: 10.12957/matraga


Palimpsesto é uma publicação do Programa de Pós-Graduação em Letras da UERJ:

UERJ >> Instituto de Letras >> Programa de Pós-graduação em Letras

 


Indexado nas seguintes bases:

 

Periodicos CAPES Latindex Find in a library with WorldCat MLA Livre DRJI MIAR BASE Logo University of Texas Libraries   UCLA Library University of Wisconsin - Madison Libraries EZB Google Acadêmico DOAJ Journal Tocs DOAJ


Licença Creative Commons

A Matraga utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.