Os Maias da TV Globo e a construção da personagem

Joana Duarte Bernardes

Resumo


Na adaptação de uma obra literária ao cinema ou à televisão, há sempre algo que permanece imutável, transformando os limites de um desvio aceitável ou de uma subversão total em experiência dupla aos olhos de leitores e espectadores. No caso d’Os Maias, de Eça de Queirós, e sua adaptação por Maria Adelaide Amaral, o equilíbrio entre o respeito pelo romance e o ambiente televisivo leva à questão complexa do que é adaptar: passagem e fronteira, dívida e criação. O objectivo deste trabalho é explorar o encontro entre os princípios da adaptação e a construção da personagem. Ora, Afonso da Maia e Maria Eduarda encontram-se em posição privilegiada para dar conta do que pode ser considerado o ofício perfectivo mas nunca perfeito da adaptação.


Palavras-chave


Os Maias; adaptação; personagem; Afonso da Maia; Maria Eduarda.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 


ISSN 1809-3507 | DOI: 10.12957/matraga


Palimpsesto é uma publicação do Programa de Pós-Graduação em Letras da UERJ:

UERJ >> Instituto de Letras >> Programa de Pós-graduação em Letras

 


Indexado nas seguintes bases:

 

Periodicos CAPES Latindex Find in a library with WorldCat MLA Livre DRJI MIAR BASE Logo University of Texas Libraries   UCLA Library University of Wisconsin - Madison Libraries EZB Google Acadêmico DOAJ Journal Tocs DOAJ


Licença Creative Commons

A Matraga utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.