MACHADO DE ASSIS HISTORIADOR? MEMÓRIAS DA ESCRAVIDÃO, DA REPÚBLICA E DE CANUDOS NAS CRÔNICAS DE “A SEMANA”

Osmar Oliva

Resumo


Nascida com o folhetim, a crônica do século XIX abordava os mais diversos temas, do trivial ao sério, dos acontecimentos sem importância aos mais graves. Machado de Assis, por muito tempo, foi incompreendido pelos seus leitores e grande parcela de críticos dedicados à sua obra, pois esses tinham dificuldade de encontrar engajamento ou preocupação política na produção desse autor. As crônicas de “A Semana”, no entanto, revelam não somente uma intensa reflexão sobre os acontecimentos importantes do Brasil oitocentista, mas também o desenvolvimento de técnicas de construção narrativa, à semelhança de um mosaico, cuja reflexão aparece fragmentada nos vários assuntos de que trata o cronista.


Palavras-chave


crônica; Machado de Assis; recepção; literatura; história.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 


ISSN 1809-3507 | DOI: 10.12957/matraga


Palimpsesto é uma publicação do Programa de Pós-Graduação em Letras da UERJ:

UERJ >> Instituto de Letras >> Programa de Pós-graduação em Letras

 


Indexado nas seguintes bases:

 

Periodicos CAPES Latindex Find in a library with WorldCat MLA Livre DRJI MIAR BASE Logo University of Texas Libraries   UCLA Library University of Wisconsin - Madison Libraries EZB Google Acadêmico DOAJ Journal Tocs DOAJ


Licença Creative Commons

A Matraga utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.