A resistência armada: Lamarca e Marighella no cinema nacional

Cristiane Gutfreind, Helena Stigger

Resumo


O presente artigo estuda a ditadura militar no cinema brasileiro, e em especial, analisa a representação de dois líderes da esquerda armada: Carlos Marighella e Carlos Lamarca. O assassinato de Marighella foi evidenciado em filmes como Batismo de sangue (Helvécio Ratton, 2007) e Marighella, retrato falado de um guerrilheiro (Silvio Tendler, 2001). Assim como o caráter humanista de Lamarca foi destacado no filme Lamarca – o capitão da guerrilha (Sérgio Rezende, 1994). Portanto, partindo dessa identificação, buscamos estudar a relação entre esses personagens, compreendendo que ambos são retratados como heróis nessas narrativas.

Palavras-chave


Ditadura militar. Cinema brasileiro. Militantes.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/logos.2013.7707

Indexada em:Latindex . Sumarios.org . Univerciência. Doaj
Rua São Francisco Xavier, 524 -10 º Andar - Sala 10129 Bloco F - Maracanã - Rio de Janeiro - RJ
cep: 20550-013 - e-mail: logos@uerj.br