Ambulantes e prontos para a rua: algumas considerações sobre o crescimento das (neo) fanfarras no Rio de Janeiro

Micael Herschmann

Resumo


Tomando como base a pesquisa empírica realizada entre 2012 e 2013 (construída não só a partir da

coleta, seleção e análise de matérias veiculadas na mídia impressa tradicional e material postado nas redes sociais,

mas também de observações de campo e entrevistas semiestruturadas realizadas com os atores sociais), buscase

avaliar em que medida o crescimento do ativismo nômade musical das fanfarras nos espaços públicos vem

afetando o cotidiano da cidade do Rio de Janeiro. A hipótese que norteia os argumentos aqui desenvolvidos

é a de que há um consistente movimento musical de rua local (concentrado especialmente no Centro) – que

envolve não só redes de músicos, mas também produtores e fãs – que vem contribuindo de forma significativa

para a construção de territorialidades e imaginários da e/ou na cidade, em suma, vem subsidiando expressivos

processos de ressignificação da experiência social nesta urbe.


Palavras-chave


Comunicação; Cultura Urbana; Fanfarras

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/logos.2014.14149

Indexada em:Latindex . Sumarios.org . Univerciência. Doaj
Rua São Francisco Xavier, 524 -10 º Andar - Sala 10129 Bloco F - Maracanã - Rio de Janeiro - RJ
cep: 20550-013 - e-mail: logos@uerj.br