Walter Benjamin e a experiência de Javé: memória, história em um contexto de progresso

Vitor Luiz Carvalho da Silva

Resumo


O declínio da experiência e da arte de narrar, pincelados no ensaio de Benjamin, se vinculam ao aparecimento de um novo tipo de técnica e de experiência, compreendida enquanto vivência. O autor reflete sobre as transformações na estrutura da experiência, engendradas pela modernidade, que afetaram nossa forma de narrar. A problemática da narração percorre toda a obra benjaminiana, desde seus ensaios juvenis acerca da tradução e da linguagem, até suas reflexões tardias sobre a poesia de Baudelaire, tendo sempre como pano de fundo, as contradições trazidas pela modernidade. Benjamin relaciona os processos culturais, econômicos, políticos e sociais, que, a partir do século XIX, engendraram a perda da narração, tendo seu ápice no que ficou conhecido por modernidade. Neste trabalho pretendemos relacionar as contribuições Benjaminianas sobre a modernidade, com o filme: Narradores de Javé, a fim de encontrar as semelhanças da narrativa, através da memória e da oralidade em um contexto da chegada do progresso no sertão baiano.


Palavras-chave


Memória; História; Experiência.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/intratextos.2018.33262

E-mail para contato com os editores: revista.intratextos@gmail.com

PPCIS/UERJ: Rua São Francisco Xavier, 524 - 9º andar - Sala 9037 - Bloco F

CEP: 20550-900 - Maracanã - Rio de Janeiro

Telefone: (21) 2334-0678 / Ramal 27


ISSN 2176-6789

 

Indexações

Revistas Online – UERJ; Revistas brasileiras – SEER; Latindex; Sumários de Revistas Brasileiras; Journals4Free e Periódicos Capes