Os usos da categoria vítima: o caso dos movimentos de familiares de vítimas de violência no Rio Grande do Sul e no Rio de Janeiro

Ana Paula Arosi

Resumo


A partir de entrevistas e observação participante de eventos, este artigo versa sobre a construção social da “vítima” e a articulação do sofrimento e da dor como elementos de mobilização e luta política. O trabalho tem como universo empírico os movimentos e familiares de vítimas de violência politicamente organizados no Rio Grande do Sul e no Rio de Janeiro. Tais movimentos e familiares, reunidos pela dor, empreendem uma árdua luta na busca por “justiça”, que envolve heterogêneas configurações de elementos contingentes, tais como “violência”, “Estado”, “vida”, “humanidade” e “justiça”. É objetivo principal deste trabalho compreender, de uma maneira antropológica, as formas de construção dessa gramática moral da figura da “vítima” como modo de ação política.

Palavras-chave: Sofrimento. Vítima. Violência.


Texto completo:

PDF


Direitos autorais