“O malandro, o protestante e o galego”: uma parábola sobre a transnacionalização do pentecostalismo brasileiro em Portugal

Paulo Gracino Junior

Resumo


Este trabalho versa sobre algumas facetas do processo de transnacionalização do pentecostalismo brasileiro para Portugal, tendo como foco central a trajetória da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) naquele país. Mais especificamente, nos debruçamos sobre os movimentos de resistência à implantação da IU RD no norte de Portugal, desencadeados pela tentativa de compra da casa de espetáculos Coliseu da cidade do Porto, analisando não apenas seus aspectos sincrônicos conjunturais, mas também seus aspectos diacrônicos. Tal esforço exigiu-nos um diálogo, mesmo que de forma oblíqua, com processos de globalização e seus desdobramentos. À medida que o movimento de prospecção da pesquisa caminhava, vinham à tona processos de migração, histórias locais, identidades, memória, fobias, disputas de poder, malfadados planos econômicos e mensagens religiosas.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais