No giro: as folias como peregrinações rituais

Luzimar Paulo Pereira

Resumo


As folias de Urucuia-MG são longos deslocamentos cerimoniais. À semelhança das procissões e romarias católicas, elas supõem diversas experiências de encontros e liminaridades, cujos significados conscientemente elaborados pelos seus participantes apontam para a produção de uma comunidade de devotos unida pelos valores da igualdade e solidariedade. As divisões e possíveis tensionamentos nas relações sociais são quase sempre malvistos pelos peregrinos. Em nome da entidade religiosa homenageada, os viajantes procuram aparentar e defender um tipo de sociabilidade pautada pela comunhão, pela horizontalidade e pelo respeito mútuo. Como resultado, os deslocamentos atualizariam a prática das “rivalidades contidas”: uma forma de antagonismo secundarizada ou conscientemente evitada pelos devotos. Sua presença revela uma dialética particular entre “estrutura” e “communitas” durante as peregrinações.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais