Os empreendedores políticos da economia solidária no Brasil: As ideias de Singer, Gaiger e Arruda

Lorena Monteiro, Sandra de Lourdes Gonçalves

Resumo


Este trabalho tem como finalidade contribuir para a reflexão do papel desempenhado pelos empreendedores de políticas públicas no surgimento de política de apoio à Economia Solidária (ES). A Economia Solidária foi incorporada como Política Pública em 2003, através do SENAES/MTE. A agenda política sobre a ES foi definida pela participação de três pesquisadores que atuaram como empreendedores políticos: Paul Singer, Luiz Gaiger e Marcos Arruda. Esses pesquisadores exerceram influência na alternativa implementada, atuando como empreendedores políticos. Diante desse contexto, este artigo analisa as ideias desses três pesquisadores através de revisão sistemática de seus conceitos contidos em suas produções científicas. Considera-se que essas ideias fundamentaram a coalizão de defesa da política pública de Economia Solidária. Conclui-se que os três empreendedores políticos contribuíram cada um com perspectivas distintas. A partir da análise das suas ideias, considera-se que a Economia Solidária tem por vocação combinar uma dimensão comunitária (mais tradicional) com uma dimensão pública (mais moderna) na sua ação. Desta forma, existem pontos em comum entre as ideias desses autores, englobando não apenas aspectos mercantis, mas também os sociais e políticos, que se incorporaram na Política Nacional de Economia Solidária.

Palavras-chave


Economia Solidária. Empreendedor político. Coalizões de defesa.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/irei.2020.51162

Direitos autorais 2020 Lorena Monteiro, Sandra de Lourdes Gonçalves

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.