Os Jovens e o Pentecostalismo: Considerações sobre a identidade da juventude da igreja Assembleia de Deus a partir um estudo de caso na Baixada Fluminense -RJ

Alexander Soares Magalhães

Resumo


Este artigo pretende apresentar algumas considerações acerca da juventude da igreja Assembleia de Deus a partir do que se propõe chamar de “identidade juvenil assembleiana”. Tal identidade invoca uma simbologia pentecostal “clássica” e, remontando à trajetória da centenária igreja brasileira Assembleia de Deus, se caracteriza pela observância (negociada) aos chamados usos e costumes –visíveis nas vestimentas e hábitos do cotidiano – e por uma resistência aos valores tidos como “do mundo”, categoria nativa construída a partir da oposição ao “que é de Deus”. Ao incentivar o jovem a estabelecer suas diversas formas de sociabilidade entre aqueles que operam nesse código cultural de “separação do mundo”, essa identidade se afirma como um tipo de resistência às chamadas identidades “pós-modernas”, marcadas pela fluidez e multiplicidade. Entretanto, ela se diferencia do que se pode chamar de uma “identidade assembleiana”, ao dialogar com as especificidades típicas da condição juvenil das camadas populares brasileiras, tentando lidar com as dificuldades e dilemas típicos desse grupo, mas sem deixar de marcar sua identidade própria, de acordo com os preceitos da igreja supracitada.
Palavras-chave:  Assembleia de Deus. Juventude. Identidade.


Palavras-chave


Periódico. Ciências Sociais. Intersdiciplinaridade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/irei.2018.39012