Mobilizando os direitos humanos: a denúncia pública do Comitê Popular da Copa de Porto Alegre e suas implicações

Gabrielle Oliveira de Araújo

Resumo


Neste artigo proponho o diálogo entre a sociologia da ação coletiva e o campo de discussão sobre direitos humanos para analisar a relação entre direito e mobilização coletiva numa conjuntura de conflito político em torno do direito à cidade e à moradia digna. Os dados que dão sustentação à análise resultam de uma pesquisa etnográfica em andamento sobre as ações coletivas contestatórias do Comitê Popular da Copa de Porto Alegre às intervenções do poder público municipal para as obras da Copa do mundo FIFA na cidade. O foco é dado para a dimensão estratégica e simbólica do direito e dos tribunais no curso da mobilização de grupos políticos e movimentos sociais. Tal análise visa a uma reflexão sobre como e por que as organizações sociais mobilizam as normas jurídicas e tribunais como recurso estratégico de mobilização contestatória com o objetivo de intervir no curso das políticas públicas e os efeitos para os diferentes agentes implicados nessa questão.

Palavras-chave: Mobilização coletiva. Direitos humanos. Comitê Popular da Copa de Porto Alegre.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/irei.2014.16595

Direitos autorais