O Ideal de Progresso como aspecto da ideologia da precisão

César Henrique Guazzelli e Sousa

Resumo


Por cerca de duzentos anos, entre os séculos XVIII e XX, o ideal de progresso se estabeleceu como a noção fundamental em torno da qual se organizou a experiência humana do tempo e o regime moderno de historicidade. Argumentamos que a noção ocidental moderna de progresso, porém, somente pode ser adequadamente compreendida quando a inserimos em uma contextura mais geral, marcada pela crença axiomática e inconteste na previsibilidade e regularidade dos fenômenos naturais e sociais esquadrinhados pela razão humana, que por sua vez perfaz o que Abraham Moles denominou como a ideologia da precisão. A partir desse recorte, buscaremos demonstrar a forma como a noção de progresso se estabeleceu historicamente como um fenômeno alinhado a essa perspectiva, tomando como referência os trabalhos de Abraham Moles e, complementarmente, François Hartog.



Palavras-chave


progresso; ideologia da precisão; modernidade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/intellectus.2022.65671

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Intellèctus



Grupos de Pesquisa:

 
Financiamento:

Indexada em:

Open Academic Journals Index  
Dialnet
 
 
 
 
 
https://sumarios.org/revista/intell%C3%A8ctus
 

 https://scholar.google.com.br/citations?user=ruuQn9oAAAAJ&hl=pt-BR

 

Redes sociais:

https://www.instagram.com/intellectus.uerj/