Contribuição para a Gestão Integrada de uma Unidade de Conservação em Ambiente Urbano: a Floresta do Gericinó-Mendanha na Região Metropolitana do Rio de Janeiro

Sônia Vidal Gomes da Gama

Resumo


Este artigo dá continuidade aos estudos desenvolvidos no GEOESTE/UFRJ,1 desde o ano de 1996, sobre o uso e ocupação dos solos, a modificação de ambientes e a importância da manutenção de unidades de conservação em áreas urbanas, abordando o Maciço Gericinó-Mendanha, a Floresta e as áreas adjacentes dos bairros de Bangu e Campo Grande, na Zona Oeste do município do Rio de Janeiro. Com o propósito de subsidiar ações voltadas ao  planejamento e gestão, partiu-se do estudo e da análise do meio físico, buscando integrar os dados que caracterizam a área ao uso atual da mesma, identificando, assim, incongruências e potencialidades do solo, para as quais pudessem ser propostas ações e medidas visando ao desenvolvimento local e respeitando a condição de Unidade de Conservação Natural (UC1V) segundo o SNUC (Lei n° 9.985/2000) e o processo participativo da comunidade.


Palavras-chave


Unidade de conservação natural; planejamento e gestão integrada; perspectiva ambiental do ecoturismo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/geouerj.2003.49227



Direitos autorais 2020 Sônia Vidal Gomes da Gama

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ISSN: 1415-7543 | E-ISSN: 1981-9021 | JournalDOI: https://doi.org/10.12957/geouerj

Licença Creative Commons