A FORMAÇÃO DE UMA NOVA IDENTIDADE A PARTIR DA RETERRITORIALIZAÇÃO CAMPESINA: trabalhadores urbanos em assentamentos rurais na Campanha Gaúcha

Michele Lindner, Joel Luís Melchiors, Rosa Maria Vieira Medeiros

Resumo


DOI: 10.12957/geouerj.2013.3998

A questão agrária e o acesso a terra envolvem uma gama variada de temáticas. A lutapelo acesso a terra no Brasil já é uma questão histórica e vem ganhando cada dia maisforça através da organização dos movimentos sociais. Nas ultimas décadas é possívelidentificar também a crescente participação de trabalhadores oriundos de espaçosurbanos em movimentos de luta pela terra e em assentamentos rurais. Trata-se se umareação frente a pobreza e falta de empregos urbanos, que fazem com que estes busquemnovos locais de moradia e trabalho em atividades agrícolas e não agrícolas como formade garantir a sobrevivência. Essas mudanças territoriais não se limitam apenas asocupações e formas de geração de renda desses indivíduos. Um território é antes de tudoum espaço de vida, um espaço apropriado por um indivíduo ou um grupo de indivíduos.Trata-se de um local de trabalho, um local de luta pela sobrevivência, onde se constróios mais diversos laços e relações sociais, um espaço de vida. Nesse sentido o presenteestudo aborda a formação de uma nova identidade de antigos trabalhadores urbanos apartir da desterritorialização e subsequente reterritorialização campesina de assentadosna Campanha Gaúcha no estado do Rio Grande do Sul.

Palavras-chave: Territórios, rural-urbano, espaços de vida, trabalhadores urbanos,assentamentos.

ABSTRACT

The agrarian issue and access to land involve a wide range of topics. The struggle forland in Brazil is already a historical issue and is gaining more strength every daythrough the organization of social movements. In recent decades is also possible toidentify the growing participation of workers from urban areas in movements in thestruggle for land and in rural settlements. It is a reaction to poverty and the lack of urbanwork, which make these pursue new places to reside and work in agricultural and nonagriculturalactivities as a way to ensure survival. These territorial changes are notlimited to occupations and ways of generating income of these individuals. A territory isabove all a living space, a suitable space for an individual or a group of individuals.This is a workplace, a place of struggle for survival, where it builds the most diverseties and social relations, a living space. In this sense the present study addresses theformation of a new urban identity of former workers from the desterritorialization andsubsequent reterritorialization peasant settlers in Campanha Gaúcha in the state of Rio Grande do Sul.

Keywords: territories, rural-urban, living spaces, urban workers, settlements.INTRODUÇÃO


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/geouerj.2013.3998



Direitos autorais



ISSN: 1415-7543 | E-ISSN: 1981-9021 | JournalDOI: https://doi.org/10.12957/geouerj

Licença Creative Commons