CONTRASTES ENTRE A METRÓPOLE E O INTERIOR FLUMINENSE A PARTIR DA DINÂMICA POPULACIONAL

Miguel Angelo Ribeiro, Maria Monica Vieira Caetano O'Neill

Resumo


doi: 10.12957/geouerj.2012.3710

 

Resumo

O artigo em tela procura, a partir dos resultados do Censo Demográfico – 2010 (IBGE), segundo alguns dados demográficos selecionados, tais como: população residente total, taxa média geométrica de crescimento, população urbana e rural e população da sede municipal, analisar e compreender a dinâmica populacional fluminense. Para tanto, as questões norteadoras da pesquisa são: (i) Como se apresenta distribuída a população em território fluminense?; (ii) Que comparações podem ser estabelecidas entre os dados censitários atuais, com os resultados do Censo Demográfico - 2000?; (iii) Que fatores explicam estes resultados estatísticos? Traços marcantes de desequilíbrios são visíveis ao retratar a dinâmica populacional em território fluminense. Verificam-se expressivos descompassos entre a metrópole do Rio de Janeiro e sua hinterlândia, entre o núcleo e a periferia metropolitanos e entre o urbano e o rural tendo como resultado um quadro de concentração populacional. Este processo resulta de taxas de crescimento anual diferenciadas em alguns municípios e que ao longo dos anos privilegiaram o núcleo metropolitano e sua periferia, reforçado pela localização maciça da população estadual em áreas urbanas (cidades e vilas), segundo critério oficial adotado pelo IBGE.

Palavras-chave: dinâmica populacional, população urbana e rural, distribuição populacional, metrópole e interior fluminense.

 

Abstract

This paper seeks to analyze and understand the dynamics of Rio de Janeiro state’s population. It does so based on IBGE’s 2010 Census results, especially demographic data such as total resident population, geometric average rate of growth, urban and rural population, and population living in the city of Rio de Janeiro. Its starting point is the following questions: How is the population distributed within Rio de Janeiro state’s territory? Which comparisons could be made between current Census results and those ones from 2000 Census? Which factors could explain such statistical results? Some relevant traces of instability are visible when it comes to show Rio de Janeiro state’s population dynamics. One verifies expressive divergences between the metropolis of Rio de Janeiro and its hinterland, between metropolitan nucleus and periphery, and between urban areas and rural ones, which result in concentration of population. This process stems from differentiated rates of annual growth in some municipalities that privilege the metropolitan nucleus and its periphery throughout the years. According to official criterion adopted by IBGE, this process is reinforced by the massive presence of population in urban areas (towns and cities).

Keywords: population dynamics, rural and urban population, population distribution, Rio de Janeiro metropolis and hinterland.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/geouerj.2012.3710



Direitos autorais



ISSN: 1415-7543 | E-ISSN: 1981-9021 | JournalDOI: https://doi.org/10.12957/geouerj

Licença Creative Commons