VARÍAVEIS HIDROSSEDIMENTOLÓGICAS E NÍVEIS DE DEGRADAÇÃO AMBIENTAL A PARTIR DE PROTOCOLOS DE AVALIAÇÃO RÁPIDA DE RIOS, ENTRE A BAÍA DA PALHA E O SADAO NO CORREDOR FLUVIAL DO RIO PARAGUAI

José Lourenço Alves da Silva, Célia Alves de Souza

Resumo


O rio Paraguai é um dos principais agentes modeladores do ambiente pantaneiro, suas mudanças hidromorfológicas estão vinculadas ao seu regime hídrico sua dinâmica fluvial e atividades antrópicas. O presente estudo objetivou avaliar os aspectos hidrossedimentológicos e o nível de degradação ambiental a partir de aplicação dos protocolos de avaliação rápida de rios - Pars, entre a Baía da Palha e o Sadao no corredor fluvial rio Paraguai. Para o desenvolvimento da pesquisa utilizou se algumas etapas. Trabalho de gabinete, trabalho de campo e de laboratório. Na etapa gabinete, foram realizadas pesquisas bibliográficas, perfis transversais e organização dos dados, no trabalho de campo, observação; aplicação de protocolos de avaliação rápida de rios; batimetria e velocidade do fluxo, coleta de amostras de água e sedimentos. Na análise laboratorial, foram realizadas análises: granulométrica (dispersão total e método de peneiramento), método de evaporação (concentração de sedimentos). Os Protocolos de Avaliação Rápida indicaram situações regulares para a margem esquerda das seções 1 e 5. Nas seções transversais no rio Paraguai, a velocidade do fluxo variou entre 0,30 a 0,71 m/s, a profundidade média da lâmina de água entre 3,5 a 8,16 m, a vazão ficou entre 141,90 a 865,57 m³/s, a descarga sólida variou 245,20 a 1.496, t/dia. Nas seções localizadas na baía da Palha a velocidade do fluxo variou entre 0,09 a 0,97 m/s, a profundidade média da lâmina de água entre 0,46 a 7,06 m, a vazão ficou entre 0,29 a 673,95 m³/s, e a descarga sólida variou de 53,74 a 2.329,17 t/dia. O uso antrópico influenciou diretamente em alterações na área de estudo em questão, porém a dinâmica de mudanças do rio Paraguai ocorre de forma natural desconfigurando suas feições através de deposições sedimentológicas.


Palavras-chave


Interferências Antrópicas. Dinâmica Fluvial. Morfologia de Canais

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/geouerj.2019.35448



Direitos autorais 2019 José Lourenço Alves da Silva, Célia Alves de Souza

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ISSN: 1415-7543 | E-ISSN: 1981-9021 | JournalDOI: https://doi.org/10.12957/geouerj

Licença Creative Commons