IMAGEM E REPRESENTAÇÃO SOCIAL DA ÁFRICA NO BRASIL: A GEOPOLÍTICA AFRICANA DO GOVERNO LULA / IMAGE AND SOCIAL REPRESENTATION OF AFRICA IN BRAZIL: THE AFRICAN GEOPOLITICS OF THE LULA GOVERNMENT

Eli Alves Penha

Resumo


A África é parte constitutiva da nossa formação nacional mas esse aspecto não é bem compreendido pelos brasileiros que tendem a subestimar a importância dessas relações ancestrais. Por conta desse desconhecimento, a imagem que prevaleceu da África foi marcada pelo legado da escravidão, da violência e do atraso e pobreza. Por outro lado, desde a década de 1970, a África tem sido visualizada como uma “fronteira em movimento” do Brasil no seu objetivo de se projetar geopoliticamente no âmbito do Atlântico Sul. No contexto do governo Lula, a expansão dessa fronteira oriental ocorre em sintonia com o forte crescimento econômico da África, possibilitando a conquista de mercados e prestígio internacional para o país com a abertura de novas embaixadas no continente. Ao mesmo tempo que criava oportunidades para as empresas brasileiras atuarem no continente, o governo Lula procurou promover, internamente, a implementação de políticas sociais com vistas a mitigar a “dívida histórica” que o país tem para com a África. Nessa nova diretriz da política africana brasileira, a perspectiva de construção de uma representação social da África, converge com a imagem do trabalhador africano escravizado e sua importância para o desenvolvimento civilizacional do Brasil.


Palavras-chave


Geopolítica e Relações Internacionais; Política Africana; Fronteira Oriental; Diplomacia; Políticas Sociais

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/geouerj.2018.34310



Direitos autorais 2018 Geo UERJ

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ISSN: 1415-7543 | E-ISSN: 1981-9021 | JournalDOI: https://doi.org/10.12957/geouerj

Licença Creative Commons