A REDE DE COMERCIALIZAÇÃO AGRÍCOLA NO RIO DE JANEIRO: PROCESSOS, DIMENSÕES, TÉCNICAS E AGENTES / THE AGRICULTURAL MARKET IN RIO DE JANEIRO: PROCESSES, DIMENSIONS, TECHNIQUES AND AGENTS

Rogério Seabra

Resumo


doi: 10.12957/geouerj.2017.32066

O mercado de gêneros agrícolas no Brasil, e consequentemente no Rio de Janeiro, foi estruturado a partir do crescimento da demanda urbana e das possibilidades produtivas da policultura de pequena escala, já que a estrutura fundiária concentrada e o monocultivo exportador ocupam tradicionalmente o campo brasileiro. Atualmente, a propriedade da terra continua sendo uma questão para produtores familiares da Região Serrana Fluminense contudo, os entraves e possibilidades relacionados ao processo de comercialização foram alterados. Os antigos atravessadores aparecem com uma nova roupagem mediados, agora, pelo diferencial logístico de complexos operadores logísticos. Tais transformações atuam reconfigurando formas de comercialização, isto é, a rede de distribuição de gêneros agrícolas, além de fomentar novas articulações e interações entre supermercados e o sistema CEASA-RJ.


Palavras-chave


comercialização agrícola; supermercados; sistema CEASA-RJ.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/geouerj.2017.32066



Direitos autorais



ISSN: 1415-7543 | E-ISSN: 1981-9021 | JournalDOI: https://doi.org/10.12957/geouerj

Licença Creative Commons