VIDAS ININTELIGÍVEIS E PRÁTICAS INDIZÍVEIS: TRAVESTIS BRASILEIRAS NEGOCIANDO AS POSIÇÕES ENTRE CRIMINALIZAÇÃO E VITIMIZAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO DAS REDES DE PROSTITUIÇÃO / UNINTELLIGIBLE LIVES AND UNSPEAKABLE PRACTICES: BRAZILIAN TRAVESTIS NEGOTIATING POSITIONS BETWEEN CRIMINALISATION AND VICTIMISATION WITHIN ORGANISED PROSTITUTION NETWORKS

Joseli Maria Silva, Marcio Jose Ornat

Resumo


Este artigo tem por objetivo evidenciar a criminalização das travestis brasileiras e as formas de organização de sua sobrevivência por meio das redes de prostituição. Para tanto, o texto explora as contradições entre a compreensão do grupo sobre suas vivências e os esquemas normativos de inteligibilidade do comércio sexual, tanto na escala nacional como internacional. Os dados são oriundos de trinta e duas entrevistas em profundidade. Sete delas realizadas com responsáveis por Organizações Não Governamentais (ONGs) brasileiras. Três com instituições espanholas envolvidas com a situação da prostituição envolvendo imigrantes e vinte e duas entrevistas com travestis brasileiras no período de 2008 a 2010. A análise evidência que as redes de prostituição travesti brasileiras são criminalizadas e pouco inteligíveis pelas instituições formais, aumentando assim sua vulnerabilidade social.

Palavras-chave


Redes de Prostituição; Vidas precárias; Criminalização; Travestis Brasileiras

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/geouerj.2018.29601



Direitos autorais 2018

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ISSN: 1415-7543 | E-ISSN: 1981-9021 | JournalDOI: https://doi.org/10.12957/geouerj

Licença Creative Commons