DO TERRITÓRIO DA SECA À TERRITORIALIZAÇÃO DO CANAL DO SERTÃO EM ALAGOAS

Wanubya Maria Menezes Silva, Paulo Rogério de Freitas Silva

Resumo


O Canal do Sertão se apresenta como a maior e mais moderna obra hídrica do estado de Alagoas, configurando-se como importante artefato introduzido no polígono das secas do estado com a finalidade de aplacar os problemas sociais decorrentes dos baixos índices pluviométricos que frequentemente acometem o semiárido alagoano. Dentro deste contexto, realizamos uma análise das territorialidades do uso da água ao longo do referido canal, especificamente nos municípios de Delmiro Gouveia e Água Branca, na busca de entender como se formam as territorialidades ao longo do mesmo, a partir do uso da água. Nesse sentido, foi realizada uma coleta de dados oficiais em secretarias do estado, envolvidas diretamente no processo de implantação do canal e em órgãos federais e municipais, finalizando com uma aplicação de entrevistas não-diretivas aos sujeitos envolvidos no uso da água do Canal do Sertão na área foco da pesquisa, podendo assim inferir sobre os usos da água e a dinâmica das territorialidades ao longo do canal. A fundamentação teórica parte dos conceitos de território, territorialização e territorialidade, considerando o território como uma construção geopolítica permeado pelas relações de poder, e suas múltiplas territorialidades.


Palavras-chave


Canal do Sertão, Semiárido, Território, Territorialidades

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/geouerj.2020.28890



Direitos autorais 2020

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ISSN: 1415-7543 | E-ISSN: 1981-9021 | JournalDOI: https://doi.org/10.12957/geouerj

Licença Creative Commons